13 de novembro de 2013

Desculpas esfarrapadas

Há dias parei a ler este artigo da Visão, e de imediato pensei comigo "falta aqui uma desculpa esfarrapada!"

Achei que faltava ali uma desculpa mesmo muito mal amanhada, que ouvi uma chefia minha invocar para faltar ao trabalho a uma sexta e segunda-feira seguinte:

- Morreu o meu cão! Estou de luto...

Até teria achado piada e um episódio um tanto ou quanto caricato o meu chefe vir trabalhar na terça-feira, com ar de quem lhe faleceu um parente próximo* (acredito piamente que tivesse uma verdadeira relação de afeição ao animal e digo isto sem qualquer réstia de ironia), se nesse mesmo dia eu não estivesse de luto pela morte do meu pai, falecido quatro dias antes... 

Enquanto o meu chefe colocou a maior cara de tristeza e dor profunda pela morte do seu amigo de quatro patas, eu fiz um esforço tremendo para ir trabalhar e não deixar transparecer o negrume que me ia na alma.

Fiquei ainda mais incomodada, quando me apercebi da sua tremenda falta de chá enquanto me descrevia o quanto estava sofredor, estando eu ainda mal refeita do desaparecimento do meu pai... Caiu-me mal a sua atitude e fez com que eu, habitualmente empática perante as perdas dos outros, nunca mais tivesse conseguido manter uma postura respeitosa perante este meu chefe, por quem eu já não "morria de amores"...

Há pessoas que invocam as razões mais estapafúrdias para faltar ao trabalho, mas há outras que passam claramente das marcas.




* - Antes que me acusem de insensível, deixem-me dizer que já tive vários animais, entre cães e gatos e que senti profundamente a sua perda durante bastante tempo e ainda hoje os recordo com carinho.



3 comentários:

blue disse...

Assino o que escreves.

Maria Duarte disse...

Tive uma colega de trabalho há (muitos) uns anos atrás que "adoeceu" uns dias antes da concentração motard de Faro começar...
Fomos algumas vezes a casa dela para ver como estava (morava sozinha)... nunca estava, porque, estava TÃO MAL que teve de ir para casa do namorado!!

De salientar que ela só lá trabalhava à cerca de 3 meses, e que nessa altura de verão NINGUÉM tinha folga, à excepção do domingo

Não sei se lá esteve mais um mês!

desabafosemrodape disse...

que chefe mais tolo. com o devido respeito pela afeição que podia ter ao animal, mas...!quanto à tua perda, desconhecia (sou nova por aqui), e sinto muito. infelizmente sei o que dói, há muito tempo que já passei por isso.