27 de julho de 2011

Febre de consumo

tirada da net

Nunca fui uma pessoa consumista por natureza.
Os meus pais cedo me ensinaram que o dinheiro que se ganha, não é para gastar no minuto seguinte!
Fui habituada a pensar bem antes de comprar uma coisa, e a não fazer compras por mero impulso. 
A minha mãe dava-me o exemplo, ao procurar o mesmo produto em locais diferentes, e só comprava após ter comparado os preços e com base nisso, tomava a decisão.
Este princípio aplico-o nas minhas compras regulares, principalmente no supermercado.
No entanto, no que respeita a certas coisas de uso pessoal, como roupa, malas, sapatos e bijuterias em geral, já não sou tão comedida. Ou melhor, já não sou tão ponderada...
Não ando por aí a esbanjar o ordenado numa base regular, só pelo prazer de possuir coisas, nada disso... Normalmente, quando cedo a estes impulsos, é porque encontrei algo que me encheu o olho, mas que também reúne uma vertente prática e de utilidade na minha vida. (apesar de ficar embevecida nas lojas de futilidades, raramente compro alguma coisa, porque me ponho a pensar no uso que vou dar àquilo). 
E fui ganhando o hábito de reprimir um pouco estes impulsos, muitas das vezes, esperando que a loja entrasse em saldos. E isso fez-me poupar bastantes euros, porque muitas vezes aconteceu comprar o que queria, por um preço inferior ao inicialmente afixado. Mas se tiver que regatear, já não tenho perfil para isso... pago o que está marcado e não me ponho a choramingar descontos e reduções de preços (só fiz isso com a minha Slim TV da Samsung que estava marcada por 589€ quando o preço dela eram 810€... mas bati o pé e disse que não saía da loja com a televisão se não pagasse o preço que eles por engano tinham afixado! esperei duas horas, é certo... mas trouxe-a pelo preço marcado!!)
Bem, mas isto tudo para dizer que ultimamente não ando em mim! Desde que comecei a interessar-me pelas costuras e pelo croché dou por mim babada a ver tecidos, cada um mais bonito que o outro. 
No espaço de poucos meses fiz mais compras on-line de tecidos e livros de costura, quilting e patchwork, croché e similares, do que quase na minha vida inteira.
Sempre fui um pouco avessa a compras com sistema Paypal e tinha imensas reservas a pôr dados do meu cartão bancário na internet.
Mas devo ter sido mordida por algum bicho, algum mosquito "malino"... porque em três meses apenas, já fiz mais compras por este sistema do que alguma vez pensei vir a fazer na vida!
A tal ponto, que recebi um telefonema dum senhor do departamento de segurança das transacções bancárias do meu banco, para confirmar se tinha sido eu a ordenar aqueles pagamentos no cartão, não fosse alguém ter-se usurpado dos dados ou do cartão e andar aí a fazer compras com o meu dinheiro! (por acaso, fiquei agradavelmente surpreendida pela positiva com esta atitude! é bom saber que há alguém responsável por fazer estas análises de risco de furto).
Mas tenho que me controlar...!! Eu não sou consumista e esta não é certamente a altura de andar a fazer compras de forma algo desregrada... é certo que estou a comprar coisas a que vou dar uso e bastante. Não sei é quando terei tempo para as aplicar nas costuras e no croché...
Por isso, Naná, tu toma lá juízo e trata de te disciplinares, que os tempos são de contenção, muita contenção!!!

6 comentários:

Manuela disse...

Querida Naná, a verdade é que eu também me guardo cada vez mais, para os saldos. Aprendi a controlar os meus desejos e a menos que necessite muito de algo, prefiro aguardar os saldos. Nunca fiz, compras paypal, no entanto! ;)

Crente disse...

Entendo-te perfeitamente :)
Fico feliz por não ser a única!
Bjs

mfc disse...

Há que por travão a esses achaques de consumismo... o mundo precisa desse travão!
... mais que nunca!

SofiAlgarvia disse...

É impossível não resistir a certos tecidos, não é? Eu percebo-te!
Como cheguei ao ponto de achar que já tenho demasiados, comecei a vender algumas peças no meu blog.
Mas isso não quer dizer que pare de os comprar, é um bicho que cada anda :)))

Tanita disse...

Ah Naná,
estas coisas de comprar o que queremos à distância de um clic é uma perdição, por ser fácil lá vamos nós, clic e depois compramos mais do que queremos. Eu fiz isso com a La Redoute, mas como fiquei decepcionada com os produtos não volto a fazer tão cedo, penso eu...
Bj**

Naná disse...

Manuela, nos saldos encontras coisas igualmente giríssimas, por isso não vejo a necessidade de ir a correr comprar assim que sai um modelito!
Crente, e não devemos ser únicas, de certeza!
Mfc, o que me vale é que também tenho uma lucidez que me permite contrabalançar estes achaques e gosto de encarar as coisas de forma realista!
Sofia, o que me valeu agora foi que "herdei" toneladas de tecidos duma tia do meu marido, que faleceu recentemente e que era costureira! Tenho tecidos que nunca mais acabam...
Tanita, eu nunca fui de ceder facilmente, mas agora ultimamente... e depois não tive ainda nenhuma decepção! As entregas são rápidas e as expectativas são sempre superadas! E sim, a La Redoute dá-nos assim umas "tristezas" que nos desmotivam...