12 de julho de 2011

Do 80 para o 8

Esta foi e continua a ser a sensação que tenho desde que mudei de emprego.
Tinha um trabalho ultra-absorvente e super stressante, onde todos os dias surgiam tarefas que traziam consigo a urgência e o habitual rótulo do "é para ontem!". Tinha um trabalho onde nem dava pelas horas passarem e cada minuto contava! 
Desfazia-me entre atender telefonemas, responder a e-mails sempre com pedidos urgentes ou cheios de pressa, lidava com pessoas de todas as nacionalidades e com as mais variadas categorias profissionais e habilitações literárias.
Tinha sempre pessoas a entrar e a sair do meu gabinete... havia mesmo dias que era um corropio!
Dava formação, controlava documentos, desenvolvia procedimentos e controlava a produção de resíduos, registos de qualidade e de segurança no trabalho da obra. Havia sempre carradas de papel em cima da minha secretária, para serem despachados... e parecia que se multiplicavam, quantos mais despachava, mais "nasciam" para eu despachar...
Nunca, mas nunca saía a horas! Havia mesmo dias em que saía do trabalho à hora que fechava o infantário do F. e não foram poucas as vezes que ele arrancava porta fora assim que me via chegar, tarde e a más horas... e já aborrecido por ter ficado para último, depois de ter visto os colegas irem todos embora para casa!
Agora tenho um trabalho onde o que faço, faço ao meu ritmo, não tenho ninguém a pressionar-me, a impôr-me prazos reduzidos e inexequíveis. Faço o que é preciso e sou eu que o decido, sou eu que planeio e sou eu que defino os objectivos.
Passo dias inteiros sozinha no meu gabinete e falo com as pessoas com quem necessito falar, para poder desenvolver o meu trabalho.
Já não dou formação, passam-se dias em que atendo apenas um telefonema e raramente recebo e-mails... Mas também sei que daqui por um mês ou dois, isto não será mesmo nada assim! Porque agora até posso ter poucos papéis para despachar, mas daqui por um mês, vão aparecer em catadupa, com toda a certeza!
Passam-se dias que não entra ninguém no meu gabinete... ou então, vêm apenas dizer "bom dia"!
E entro e saio sempre a horas! É quase sagrado!... O meu filho já me espera à porta do parque do infantário porque sabe que vou chegar mais cedo!
Mas em certos dias conto os minutos a passar... 
Eu, quando mudei de emprego, queria ter um trabalho mais pacato, menos cansativo e stressante... mas também não era preciso tanto!
Foi complicado habituar-me, porque quando cheguei aqui andava sempre na bisga, a 1000 km/h, agora posso andar a 100 como a 50 como a 200km/h, conforme eu bem entender...
O curioso é que este cenário é habitual na minha vida, ou passo do 8 para o 80 ou do 80 para o 8, como é o caso agora! Nunca há um meio termo...

Aviso à navegação: atenção que não me estou a queixar! Bem longe disso, porque o que ganhei em paz de espírito é superior às minhas expectativas e a tudo o que podia ter desejado! Só o facto de já não ter uma profissão com responsabilidade civil e criminal, foi um desafogo! Era uma espada a pender sobre a minha cabeça...
Estou onde quero estar! A fazer aquilo que eu quero! Com um vencimento mais elevado (difícil nos dias que correm conseguir fazer um upgrade nesta área...) e com mais regalias! O ambiente de trabalho é igualmente bom e isso é de extrema importância, pelo menos para mim...!
Por isso, posso ter mudado de ritmo radicalmente, mas não quer dizer que não esteja plenamente satisfeita, o que estou!!

7 comentários:

Xp disse...

Sempre ouvi dizer..."O seu a seu dono!"
Na certa trabalhaste para isso e esta é a recompensa.
;)
Bj meu...

Daniele Barizon disse...

Olá!

Encontrei este blog por meio de um blog amigo. Sigo.

Sds,

Daniele Barizon
http://www.neointerativo.com

Ni! disse...

É tão bom quando a mudança é para melhor. E nesta conjuntura é de louvar ainda mais.
Bjinho

Tanita disse...

Já percebi porque conseguimos conversar no gmail :)

Naná disse...

Xp, sim trabalhei para isso e estudei muito para isso, com muito esforço físico, mental e financeiro... por isso mesmo é que estou onde quero!

Daniele, bem-vinda! :)

Ni, dou graças por isto todos os dias!!

Tanita, nem mais! Nem mais...

mfc disse...

Já viste o que ganhaste em qualidade de vida?!
Já viste o tempo disponível para ti e para o miúdo?!
E a paz de espírito?!
Não há nada que pague isso!
Sorri... sorri muito.

Naná disse...

Mfc, estou mesmo grata! E cada dia que passa mais! Ganhei numa série de aspectos e na vida familiar foi sem dúvida ganho! E já comecei a tempo para outras coisas que dantes nem sequer equacionava...