2 de maio de 2014

Semanário de gravidez #14

Finalmente, o São Pedro parece ter-se acalmado na sua esquizofrenia climatérica, e agora que veio aquele calor primaveril que eu aprecio cada vez mais, não há maior alegria para mim do que mandar as meias e collants à fava e andar a xinelar por aí de perna ao léu, na vã tentativa de me abstrair do facto de que tenho os pés meio inchados, os tornozelos mais roliços e que as pernas se queixam da circulação esforçada em que se encontram...

Ah a falta que umas agulhas de acupuntura me fazem para combater estes problemas de circulação e retenção severa de líquidos!

Vale-me de pouco, mas sempre ajuda os borrifos frescos do Pedi-Relax, esse spray que descobri na primeira gravidez, nos dias que passei em Barcelona.

A barriga está proeminente e é incrível a capacidade de improviso e desenrascanço que uma pessoa consegue desenvolver quando precisa de se agachar, chegar aos pés e luta com dificuldade, porque tem uma pança grande e um bebé rezingão que ao sinal do mais pequeno aperto, reclama logo lá de dentro!

Perante a dificuldade, contorna-se a barriga de lado, ou como for possível para se descalçar sapatos, ou atar os cordões dos ténis... obviamente, porque somos demasiado orgulhosas para estar a reconhecer que mais tarde ou mais cedo estaremos em modo pata-choca e precisaremos de recorrer a terceiros para fazer coisas elementares como apertar fivelas em sandálias (se calhar mais vale arranjar umas que sejam fivelas-free...) ou simplesmente ajudar a tratar dos cuidados mais básicos de pedicure...

Abriu a época das frutas frescas, deliciosas e sumarentas que me dão um prazer e saciedade tremendo. Pena que isso signifique que durante a noite, em vez de me levantar para verter águas uma ou duas vezes, tenha que o fazer quatro, cinco, quando não são seis...

O rapazolas é um destemido e está mais que visto que não aprecia minimamente que eu passe dias sentada, quer é que eu ande na retoiça de um lado para o outro... se me sento muitas horas, vá de se esticar e dar pontapés e esmurrar-me como que a dizer: "vamos lá mazé mexer que isto de estar parado não tem graça nenhuma!"...

2 comentários:

Magda E. disse...

Gosta de ser embalado o teu R. =D como te entendo na hora de calçar.

dona da mota disse...

O que foi (para o meu homem) encontrar sapatos para eu não sair da maternidade descalça... Os meus pés quintuplicaram, pelo menos...

Cada vez que leio semanário da gtavidez dá-me um treco que não acabe (cpmece, vá) o que tenhp para te enviar... Ai que o tempo passa rápido... eu sei, para ti passa menos rápido, ahahahahah