6 de fevereiro de 2014

Afinal não sou só eu...

A Ana Mê escreveu isto.

Parece que me leu os pensamentos!

Andamos todos ocupados a debater até aos entrefolhos mais recônditos uma série de "não assuntos" (praxes, quadros surreais, referendos estapafúrdios), enquanto as coisas realmente importantes ficam caídas no esquecimento... 

Mas permanecem diariamente na nossa lembradura os "reais assuntos", quando abrimos a carteira ou olhamos para a nossa conta bancária e mais então quando analisamos o nosso recibo de vencimento e vemos as percentagens que nos debitam em nome duma reforma que certamente nunca receberemos; quando precisamos de uma consulta no centro de saúde e ou não há médicos, ou não há material ou percebemos que temos pela frente uma espera de 5/6h na urgência do hospital caso não estejamos pelos ajustes de ir ao médico particular; quando recebemos avisos de pagamento de impostos ao Estado, quando pagamos os impostos escabrosos ao Estado, quando recebemos as contas da companhia eléctrica ou das águas e até nos falta o ar... quando vamos ao supermercado e não percebemos como é que o que consumimos mensalmente de repente se tornou numa conta tão astronómica... ou quando vemos familiares e amigos a cair no desemprego e sentirem o aperto de não ter qualquer rendimento que lhe permita pagar os seus encargos... alguns deles forçados à emigração para sobreviver ou poder viver dignamente.


E depois lemos isto e percebemos que vivemos num mundo gerido por malta que criou uma realidade alternativa e como tal governa um povo totalmente diferente como se isto fosse o Second Life.


3 comentários:

Ana. disse...

Suspiremos em uíssono, Naná! Pelo menos ainda não se paga!

Naná disse...

Suspiremos então! ;)

desabafosemrodape disse...

e como diz o povo "ainda a procissão vai no adro...", o que será que nos reservam, para além do massacre a que já fomos submetidos?