24 de janeiro de 2014

Perplexidades antropológicas

Há pessoas que têm posturas, manias, formas de estar, convicções, o que lhes queiram chamar, que a mim me deixam perplexa sobremaneira... palavra de honra que tenho dificuldade em compreender qual o raciocínio lógico que lhes assiste nestas matérias e que os leva a terem este tipo de comportamentos...

Perplexidade n.º 1 - pessoas que estão quatro ou cinco meses sem receber uma factura de água, electricidade, gás, ou outra coisa paga mensalmente e quando percebem que estão em dívida e têm juros de mora, acham que a responsabilidade não lhes é imputável de forma absolutamente nenhuma...

Perplexidade n.º 2 - pessoas que não se dignam olhar para os recibos de vencimento com olhos de ver, não fazem ideia de quanto têm que descontar para fins de IRS e Segurança Social, mas assim que vêem um ou dois cêntimos a menos no valor líquido a receber desatam a chamar a todos de "gatunos"...

Perplexidade n.º 3 - pessoas que se acham inteligências supremas na arte de contornar a lei e acreditam piamente que as leis não se lhes aplicam desde que estas não lhes convenham (quando convêm, o argumento é sempre que a "lei é para ser cumprida!"), consideram-se especialmente hábeis a ludibriar o senhor polícia ou qualquer outra figura de autoridade, porque esse é um tremendo tanso e ainda têm a característica especial de se gabarem das suas aldrabices na frente de quem queira ouvir... confesso que tenho muitas vezes pena de não estar o alguém certo no local para os caçar!

Perplexidade n.º 4 - pessoas que ainda não aprenderam a fazer perpendiculares, não entendem o conceito de prioridade a quem está mais próximo do local de cruzamento em locais estreitos, ou a obrigação de sinalizar mudanças de direcção...


Perplexidade n.º 5 - pessoas que gostam de meter o bedelho onde não são chamados, gostam de controlar o que os outros fazem sempre à espera de os apanhar em falso, para poderem apontar o dedo e mostrarem o quanto são profissionais, por comparação. Na maior parte dos casos, esta malta em vez de desempenharem as suas funções, levam a sua jornada laboral a controlar o trabalho dos outros em vez de desenvolverem o seu...

3 comentários:

Maria Duarte disse...

eu até podia aí acrescentar mais uns quantos pontos...

será que vale a pena?

desabafosemrodape disse...

este país está cheio de perplexidades...beijinho. bom fim de semana.

Naná disse...

Maria, pois...

Mia, é verdade... são tantas...