14 de outubro de 2013

O grande 35

No ido ano de 1978, pelas 22h10 nascia no Hospital Distrital da cidade uma menina, 5 minutos depois de um rapaz e 10 minutos antes de dois outros rapazes.

Ela era esguia e levezinha. Dormiu a santa noite embalada pelo choro incessante dos outros três meninos...

Ela foi a maior alegria da vida da sua mãe e o pai não cabia em si de contente!

Não herdou o nome de sua avó Alzira, mas recebeu um nome invulgar, dizem que de origem aristocrática, já que os trovadores lhes (às damas) dedicavam trovas e canções de amor!

Cresceu rebelde, travessurenta e meiga. Viveu o bom da cidade e conheceu o melhor da vida no campo! Soube o que era viver numa casa onde as paredes eram de taipa caiadas, chão de terra que tinha que ser "ogado" e não havia electricidade ou água canalizada.

Sempre com os seus óculos por companhia... desde os 3 anos de idade. Até aos 16, quando passou por dois anos de revolta... e recusa em usar óculos!

Fascinada pelo seu avô materno, respingava com a avó paterna, que lhe estava sempre a ralhar, e a quem ela levantava a mão em sinal de intenção de dar uma palmada...

Foi uma adolescente tímida, bem comportada, segunda melhor aluna da turma, que lhe valeu a alcunha de marrona com elevada aptidão para a língua estrangeira e para a disciplina de História, mas vocação quase nula para a educação física, com excepção do serviço no voleibol e o guardar das redes no andebol. Correr e saltar em altura ou comprimento não eram com ela e fazia quase invariavelmente má figura...

Dos 13 aos 16 anos viveu juntamente com o seu pai o inferno drama pelo qual a sua mãe passou, por sofrer de cancro de mama, quimioterapia, mastectomia total e radioterapia com tudo o que isso implicou... 

No último dia de escola do seu 11.º ano viu a sua mãe partir finalmente, após 4 meses a definhar agonizantemente, apesar das doses cavalares de morfina e comprimidos para dormir.
Viu o pai enclausurar-se em sofrimento por ter perdido a sua grande e eterna companheira e decidiu naquele momento que iria procurar consolo na praia da Arrifana e afastar a tristeza da falta da sua mãe, ocupando-se a trabalhar a servir à mesa no restaurante propriedade da sua prima. 

Preparou-se para concretizar o sonho que a sua mãe tinha para si, e um mês antes de completar os 18 anos, começou as aulas na universidade, a 500 km de casa. Deixou-se da timidez e decidiu abraçar o seu lado de algarvia marafada, extrovertida, bem disposta e de gargalhada fácil e sonora!

Completou a licenciatura com notas medianas, a contrastar com os habituais 17/18 na pauta dos tempos do secundário. Mas nesses quatro anos e meio em que foi estudante do ensino superior sentiu que cresceu dez ou cem tamanhos em horizontes, no abandonar de preconceitos e na aceitação dos outros e na tolerância perante opiniões diferentes das suas! Faz amigos para o resto da vida!

Pouco depois dos 22 anos defendeu a tese de licenciatura sobre o conflito israelo-árabe com nota final de 15, da qual muito se orgulha.

Chega a ingressar em mestrado na mesma área de licenciatura, o que a traz à capital. Após cinco meses de agonizante lavagem ao cérebro durante as aulas, praticada por docentes claramente de ideologia de extrema centro direita, regressa à terra natal para ter um qualquer emprego que lhe dê sustento, porque trabalhar na sua área académica só de borla e por se sentir como cordeiro para a matança todos os dias que entrava num qualquer transporte público.

Após dois anos de trabalhos precários, e farta de se sentir imprestável, frustrada e um parasita da sociedade, decide que é melhor pegar no "canudo" e metê-lo na gaveta e ir fazer formação profissional que lhe permita a empregabilidade e que faça com que ouça constantemente nas entrevistas de emprego que tem habilitações literárias a mais, mas que lhe falta experiência profissional.

Após uma especialização em SHST, vai trabalhar para as "obras" e aprende (novamente!) que os mais educados não são os que têm maior grau académico. Convive profissionalmente com pessoas dos mais diversos quadrantes e mais diversas nacionalidades e sente-se realizada profissionalmente, apesar de sentir na pele um latente desprezo de engenheiros por "doutores"... logo ela, que nunca mediu as pessoas pelo título académico que precede o nome de cada um! Ganha estaleca, e conquista algum respeito entre os seus colegas de trabalho que por vezes se esquecem que ela é mulher, coisa que ela até agradece! Obstinada e teimosa, por gostar de levar a sua avante e não se calar quando tem algo engasgatado, ganha a alcunha de "furacão".

Aos 22 anos conhece aquele que escolheu para seu companheiro e aos 27 anos amantizam-se, segundo palavras de seu pai.

Após um jantar de Consoada e abertura da prendas, é mãe aos 30 anos, no dia 25 de Dezembro, dum menino doce e lindo. Abranda no mau feitio, porque a maternidade lhe trouxe nova perspectiva sobre a vida, fazendo-lhe ver que afinal a realização profissional não é de todo o mais importante, mas sim um meio para atingir um fim: pagar contas!

Por essa altura decide começar um blog, que lhe permite conhecer pessoas fantásticas e com quem sente que se enriqueceu pessoal e culturalmente!

Pouco depois dos 31 vive o drama de ter o seu pai internado na capital com um tumor cerebral, ficando em coma durante quase dois meses, na sequência da cirurgia para o remover. 

Antes do seu filho completar um ano, fica irremediavelmente orfã de pais e quase sem vestígios dos seus antepassados. Mas é herdeira de património...

Aos 32 muda de emprego e larga as "obras" que já lhe tinham trazido tanto desgaste, cabelo branco e aversão a condições climatéricas extremas.

Por essa altura, ganha interesse por artes e lavores e descobre que ainda sabe fazer crochet e costurar à máquina. Nessa altura aprende finalmente a tricotar. Por conta disso, abre um outro blog, orientado para as artes manuais e conhece mais pessoas fantásticas e aprende imenso.

Vive uma vida rotineira, paga contas, paga impostos de monta, sente a crise na pele como qualquer português.

Completa 35 anos neste dia, na companhia do seu companheiro e do seu filho, que são a sua família amada!

tirado de www.weheartit.com

26 comentários:

Maria Duarte disse...

Haveria tanto para dizer, mas para já...

Um Beijo
GRANDE

M♥M disse...

Mesmo conhecendo-te pouco Naná, és uma pessoa fantástica este post merecia um Prémio. A memória dos tempos que já não voltam é preciosa e tu tens o dom de compilar 35 anos de vida num post cheio de todas as emoções possiveis de sentir ;o) Muitos parabéns, um dia muito feliz e um novo ano com muitas concretizações.
Beijinhos

Magda E. disse...

Antes de mais, parabéns pelos 35. Depois, parabéns pela forma como resumiste a tua biografia de forma tão fantástica. beijinhos

dona da mota disse...

Muitos, muitos parabéns Arrifana Girl!!!!!!!!!
Muitas felicidades e tudo, mas mesmo tudo de bom para ti! Um beijo grande!!!!! Muito grande!!!

Inspiraste-me! :)

Paula disse...

Muitos parabéns! Vou voltar para ler tudo com atenção que mereces, mas para já: Muitos parabéns e um dia muito feliz!!!

Beijinhos xx

gralha disse...

És uma pessoa tão especial, Naná. Ainda bem que nos vamos conhecendo por aí. Beijinhos e um grande abraço neste dia que é teu :)

Tanita disse...

Acrescentar outra qualquer palavra ao que li, seria abusar.
Estou de lágrimas nos olhos e sinto um imenso orgulho nesta menina/mulher que descreves e muito feliz por ser sua amiga.
Mais apenas quero dizer, que espero que a Vida lhe sorria, muito e que seja a sua companheira de aventuras, não lhe largue as mãos e que lhe traga o que mais deseja, pois sei que "better things are coming".
beijos, muitos.

Carla Marina disse...

Parabéns Naná! Que a vida te sorria sempre junto de todos aqueles que amas e que te amam :)

Um beijo grande e um dia muito feliz

(e temos dez anos de diferença, mais dia, menos dia... Balança rules! :D)

Arco Iris disse...

Muito Bom....
Tudo isso são fases da Vida , que a ajudaram a crescer , e que a tornaram na Mulher que hoje é.
Muitos Parabéns, que este dia seja um de muitos com muita Saúde-Paz-Amor na companhia dos que a Amam.
Bjs

Ana disse...

Muitos parabéns atrasados! Uma bela história de vida e muita luta.

beijinhos
Ana

Mam my disse...

Parabéns, GRANDE NANÁ!
Que o percurso continue e sempre a melhorar!
Muitos beijinhos

martinha martins disse...

Agora é que preciso de conhecer a pessoal maravilhosa que aqui és... aguarda-me pessoa, também tu, fantástica. Muitos beijinhos e abraço apertadinho neste dia especial (todos os dias)

Ceres disse...

Muitos parabéns :-)
e como diz a imagem do final: The best is yet to come!!!

Jinhos grandes

filosofiabotequim disse...

Muitos parabéns pelos 35 anos de vida. Uma vida cheia de experiências que ajudaram a moldar uma mulher guerreira. Desejo que este dia seja repleto de coisas boas, muitos beijos carinhosos, abraços sentidos e boa companhia. :)

celine ( uma casa encantada) disse...

E pronto, vieram-me as lágrimas aos olhos...

Muitos Parabéns pelos 35 anos e pela grande Mulher que demonstras ser!

Um grande beijinho

Pés de Lã disse...

Naná, felicito-te desde já pelas tuas 35 Primaveras! Muitos Parabéns!! Li, comovida, o que escreveste acerca de ti e da vida que já passaste, acredito que ao escreveres também sentias um aperto no coração...tudo que acontece na nossa vida acontece por alguma razão, a perda dos nossos entes queridos, a frustração profissional..a negação, e por fim a nossa alma acalma..finalmente conseguimos ver que a vida também tem coisas boas! És uma mulher muito muito forte e a vida ainda te reserva momentos muito bons junto com o teu marido e com o teu filho :) Muitos parabéns mais uma vez!!

IDEIAS COM LINHAS disse...

35 anos muito bem resumidos!! :)
Muitos parabéns e um grande beijinho!

ei! kumpel disse...

Que post tão, mas tão giro! Devia arranjar coragem para escrever algo parecido (estou quase a fazer 35 também). Parabéns Naná, pela coragem de escrever algo tão pessoal e pelo percurso de vida que tão bem mostra a pessoa bem formada que és. Os teus pais estão, com certeza, muito orgulhosos da mulher que és hoje!

beijinhos,
margarida

A menina cos(z)e? disse...

Fiquei tão emocionada ao ler este texto. A Naná, é sem dúvida alguém muito especial! :) Espero que tenha tido um dia fantástico! Muitos parabéns! Beijinhos

SG disse...

Parabéns! Imagino o belo texto que contará os próximos 35!

Carla disse...

Adorei conhecer-te mais um bocadinho. Uma grande mulher como nunca tive a duvida

Beijocas grandes e que o futuro te traga muitas coisas boas xxx

Sandra Oliveira disse...

Parabéns Vera :) Parabéns pela mulher fantástica que é, parabéns pela coragem :)
Beijinhos

Virgínia disse...

Que história de vida! Gostei muito de aqui vir hoje, principalmente hoje, aproveitando para deixar um grande, grande abraço meu. Consigo me identificar com muito que aqui li. Um dia muito feliz junto da tua família!

desabafosemrodape disse...

vim recomendada pela Tanita. tendo tido aniversário a 14 de outubro, aqui a minha pessoa, libriana de bom coração,veio conhecer mais um espaço cheio de boa escrita. parabéns, quer pelo post, quer pelo aniversário.

luisa disse...

Deixo os meus parabéns atrasados com pena de não ter passado por aqui no dia próprio mas com grande gosto nesta leitura de emoção.:)

Judy disse...

Olá Naná,

Descubro seu blog alguns dias depois de seu aniversário mas em tempo de lhe desejar muitas felicidades.
Me emocionei ao ler sua biografia, sem dúvida acabo de conhecer alguém muito especial e forte.
Abraço,