11 de outubro de 2013

Alta competição infantil

Não querendo meter a foice em seara alheia, nem mandar postas de pescada sobre a forma como cada um decide educar o seu filho e sobre o que entende ser o melhor para eles...

Mas juro que se me dá uma urticária malina e me assola um tique de nervoso nas pestanas do canto do meu olho esquerdo sempre que ouço mães de meninos e meninas da idade do meu filho (4/5 anos) a afirmar convictas que querem que os seus filhos pratiquem desporto de alta competição...

Subconscientemente, sou levada a pensar que na base deste desejo deve residir alguma frustração mal canalizada ou um sonho qualquer que se lhes ficou por concretizar... mas isto deve ser só o lado mais preconceituoso do meu cérebro que sai da jaula por uns segundos! Ou então, é mesmo só a minha veia preguiçosa, pouco desportiva e nada propensa ao exercício físico regular...

Acredito que os pais queiram o melhor para os seus filhos, certamente! No entanto, tenho algumas dificuldades em compreender que queiram que os seus filhos, com apenas 4 anos, se submetam a treinos fisicamente intensos, vários dias por semana (incluindo sábados) durante mais de 2 horas cada treino.

Não duvido que haja crianças que adoram isto e que isso as faz felizes, por terem apetência para a coisa... afinal de contas há tanto atleta de alta competição que começou assim mesmo, nestas idades...

Mas confesso que este tema me provoca alguns calafrios no pensamento, porque acho que crianças desta idade devem fazer exercício físico regular, sim... mas como divertimento, como brincadeira, como forma de extravasar as suas imensas energias. O desporto deve ser lúdico e não uma corrida para chegar às medalhas em tão tenra idade. E muito menos para saciar uma qualquer sede dos paizinhos...


9 comentários:

M♥M disse...

Concordo contigo em tudo o que tu dizes, essas actividades são boas para eles mas o divertimento perde-se e o lado mais importante do desporto perde-se com o ressalvar do objectivo de ser o melhor e ganhar medalhas. Uns mantém os filhos como que bebés de colo quando já estão crescido e outros parecem que querem que os filhos sejam adultos muito antes de o serem... Acho que essa atitute dos pais não se prende tanto pela vontade que os filhos façam algo que eles (pais) gostaram em pequenos mas sim para se evidenciarem perante a sociedade, ou então simplesmente para lhes ocupar o tempo.

Jardim de Algodão Doce disse...

Concordo contigo...depois com o tempo os pais também vão percebendo que os miúdos seguem o que gostam se os deixarem e não o que os pais querem que eles sigam. Beijinho

Maria Duarte disse...

Há muito que a filhota pratica natação. No horário que frequentamos desde o ano passado, há ao mesmo tempo as aulas de "competição", com professor próprio mas ali mesmo na pista ao lado... este professor costuma estar atento aos alunos das outras classes a ver se ali descobre algum potencial competidor. Foi o que aconteceu com uma colega da M. Foi "vista", foi "testada" e passou (com o consentimento dos pais) para a aula de competição. Nessa altura senti a M. triste, não percebi se por perder a amiga para outra pista ou se por não ter sido ela escolhida... Falei com ela, perguntei-lhe se gostava de fazer competição, que poderia tentar que entrasse na aula.... "Namm, que assim não me posso baldar de vez em quando".
Todo e qualquer desporto é bom pela actividade física em si, pela convivência, mas... nem todos podem/devem ser atletas olímpicos.

Uba disse...

Concordo plenamente. Deve ser uma coisa lúdica, futuramente se a criança assim o desejar, prosseguir para algo mais. Mas nunca numa idade em que eles precisam é de BRINCAR!

Bom fim-de-semana!

Magda E. disse...

Concordo contigo e com tds as opiniões já partilhadas. A minha terá direito à escolha... para tudo, não só o desporto.

sal disse...

Querida Naná, infelizmente esses pais estão, eles próprios, a competir com os outros pais :((

gralha disse...

É porque cá não há Toddlers & Tiaras.

Carla Marina disse...

Penso tal como tu. O Ricardo fazia natação desde os 4 anos, 2 vezes por semana, porque queria, porque gostava. A partir do momento em que passou para a piscina maior,os instrutores começaram a exigir mais dele e sugeriram ao pai que ele passasse ao treino de pré-competição. O miúdo não estava a gostar e pediu para não fazer mais natação. Graças a isso, conseguiram que ele criasse aversão só ao facto de ir para a piscina naqueles dias. Actualmente, e com pena minha porque lhe fazia bem (a parte do desporto por diversão), não vai à natação.

Já uma vez disse no meu blog que a partir do momento em que as crianças não estão felizes a fazer uma actvidade desportiva, deixa de ser um prazer e passa a ser uma obrigação. E isso, lá em casa, não é aceitável.

Arco Iris disse...

Sou de opinião que as crianças pratiquem um desporto (na idade devida) e dentro da modalidade que mais lhe apetecer, sómente pelo prazer do desporto e beneficio da saúde.
Bom Fim de Semana