31 de julho de 2013

Dos "clássicos da literatura"

Eu já devia ter aprendido esta lição... de que nem sempre os livros que são apregoados como "clássicos da literatura" e que têm lugar de destaque nas muitas listas que enumeram os livros que são "incontornáveis" a qualquer leitor mais culto... merecem o tempo que se despende a lê-los!

Digamos que já tinha desconfiado disso quando li os dois tomos do execrável "Crime e Castigo" de Fiódor Dostoévski. Posso mesmo dizer que foi um verdadeiro castigo ter lido o livro e um crime o tempo que perdi nesse processo... 

Depois, com a Madame Bovary de Gustave Flaubert, a desconfiança foi-se cimentando... ajudada em muito pelo "As verdes colinas de África" de Ernest Heminghway, que para quem aprecia caçadas deve ser bastante interessante, mesmo com descrições ao ínfimo pormenor do arbusto, que ocupam mais de uma página...

O Bel-Ami de Guy de Maupassant serviu para a confirmação. Mas ainda assim deixou-me uma sensação de "come-ci, come-ça"...

Mas nada me faria prever o frete que fiz para ler o "Retrato do artista quando jovem" de James Joyce... terminei-o muito por teimosia minha e também porque detesto falar sem conhecimento de causa. 

Por isso, acho que me vou manter assim afastada dos ditos "clássicos da literatura" por uns longos e bons anos... já que existem por aí imensos livros interessantes, contemporâneos e mais ao meu gosto, e onde eu possa dar o meu tempo por bem empregue, numa experiência satisfatória.

8 comentários:

Ana. disse...

Pois, o que eu sofri para ler Os Maias!! (E acabei por não ler tudo!)
Desisti do Anna Karenina e ainda comecei o Crime e Castigo, mas... não, obrigada!!
;)

Benedita disse...

Também sou assim. Começo um livro tenho que terminá-lo. O pior é quando me cruzo com livros que não gosto, e terminar de lê-los... chega a levar longos meses!

Magda E. disse...

Pois tb já cheguei a essa conclusão há algum tempo. E tb qd começo tenho de ir até ao fim, por mt mau que seja. até hoje só desisti de um livro... não estava a entrar MESMO.

luisa disse...

Nunca li Dostoievski (deverei ficar envergonhada?) mas gostei de Madame Bovary... Clássicos ou não alguns livros são mesmo uma estopada, só que, não sei porquê, normalmente insisto (teimosa como tu) em lê-los até ao fim. :)

triss disse...

Há clássicos e clássicos.
Uns são tão interessantes como uma folha de alface murcha mas há outros que valem mesmo a pena. Como Os Maias, Lolita, Retrato de Dorian Gray, Il gattopardo, só para mencionar alguns livros absolutamente imperdíveis.
Não percas a esperança:-)

Arco Iris disse...

Naná há uns dois ou três que enumerou que já li (faz algum tempo)
Eu gosto de ler ...não sou muito seletiva nos livros, sejam eles qual forem têm que me dar prazer logo nos primeiros capítulos, senão....confesso que ponho de parte.

Maria Duarte disse...

clássicos ou contemporâneos, deste ou daquele autor, quando as primeiras páginas se começam a "engasgar"...
esquece!

Naná disse...

Ana, eu com os Maias, da primeira vez parei no 3.º capítulo, depois uns meses passados recomecei e adorei o livro. Mas não é de longe o meu preferido do Eça...

Benedita, neste caso forcei-me, porque os que estão na calha de espera são tão mais interessantes...

Magda, também fiz isso com um do António Lobo Antunes, mesmo!!!

Luísa, não há vergonha nenhuma em não teres lido o Dostoévski... nenhuma mesmo.

Triss, eu adorei o Retrato de Dorian Grey... ainda hoje sofro um pouco por conta desse livro... estou sempre que haja um twist absolutamente fantástico no final, que me deixe boquiaberta. Parte da minha teimosia é um tanto de auto-engano...

Arco Íris, eu no fundo tenho sempre esperança que a qualquer momento a história me prenda...

Maria, sim também os há mauzinhos contemporâneos...