21 de maio de 2013

Não, não é normal!!


Depois de ter lido este artigo, apesar de ser um questionário com uma amostra e que vale o que vale, creio  que as conclusões daí retiradas são bastante reveladoras do estado a que chegámos, no que diz respeito a valores e princípios, de respeito ao próximo, de dignidade, de ter a noção do certo e do errado.

Creio que também é bastante revelador do nível de auto-estima de jovens adolescentes, que vêem na violência, tanto física como psicológica, uma ferramenta normal para lidar com a sua cara metade, quando as coisas não corram propriamente de feição.

Enquanto esta lógica de pensamento e forma de estar na vida for encarada "com toda a tranquilidade", vamos continuar a ter níveis de violência doméstica bastante elevados.

Ter a percepção disso entristece-me profundamente, porque só revela que algo de muito podre está a acontecer na nossa sociedade e na forma como educamos os nossos filhos.


6 comentários:

Susana disse...

Infelizmente é um assunto que ainda não é entendido pela geração mais jovem como urgente em pensar, reflectir. Antigamente, ou desde sempre, a violência doméstica acontecia vergonhosamente e em segredo e quando não era segredo nenhum ninguém 'metia a colher'. Actualmente fala-se tanto do assunto e ainda assim parece que estamos parados no tempo. Alargo esta temática a tantas outras, como o tabaco ou até mesmo as doenças sexualmente transmissiveis e a gravidez na adolescência. Antigamente não se sabia nem metade do que se sabe hoje (ou do que existe à disposição para se saber) e nos dias de hoje parece que o conhecimento ocupa lugar e de nada serve para uma grande maioria aprender.

Paulo Nunes disse...

Acho que esse estudo está mal feito. Conheco dezenas de teenenagers e qualquer um deles desaprova qualquer acto de violencia. Se calhar isso foi feito em bairros sociais ou num outro sitio que não faz q opinião da maioria dos jovens!

Paula disse...

Txiiii eu não acho que esse estudo esteja mal feito como diz o Paulo. O cabeçalho da noticia é que nos induz em erro sobre o resultado do estudo...

E achar que a violência é característica de 'bairros sociais' é parte do problema.

Claro que existem milhares de jovens que desaprovam actos de violência mas isso não invalida que existam outros tantos que a pratiquem...

carla disse...

Se este estudo é exacto ou não, não sei. O que sei é que cabe a cada um de nós pais (pai e mãe, com os nossos actos (mais até do que com palavras), incutir os valores e os princípios correctos que impeçam que opiniões como estas e situações de violência (física e psicológica) entre casais sejam cada vez menos frequentes, de preferência deixem mesmo de existir.

Sabemos todos perfeitamente que as crianças guardam muito mais na memória aquilo que nos veem fazer do que aquilo que lhes dizemos.

Arco Iris disse...

É algo que me assusta e preocupa.
Estamos no século XXI....tanta evolução e, afinal o Ser Humano não evolui nada.

Naná disse...

Susana, completamente de acordo contigo. Há tanta informação e mesmo assim as pessoas sujeitam-se...

Paulo, daí ter feito a ressalva de que o estudo vale o que vale, porque tudo depende da amostra. No entanto, tenha sido feito em bairros sociais ou bairros de luxo, creio que as conclusões a que chegou não andam muito longe da verdade. Não acho normal as % de miúdos que acham que é normal um comportamento violento ou de humilhação psicológica quando algo corre mal na relação...

Paula, ora bem! Mas eu não me fiquei pelo cabeçalho... o que me chocou foram mesmo as conclusões do estudo...

Carla, sem dúvida. Os nossos filhos são de certa um pouco aquilo que nós somos e do que lhes transmitimos... por isso, fiquei preocupada!

Arco Íris, é mesmo... como podemos estar no séc. XXI e ainda termos comportamentos tão retrógrados?!