24 de outubro de 2012

Vida (Meo)Editada

Aflige-me a publicidade excessiva.
Afligem-me os blocos publicitários cada vez mais longos, especialmente nos canais nacionais.
Aflige-me a onda de anúncios publicitários no início de vídeos no Youtube e no Sapo e noutros canais.
Afligem-me a ponto de ganhar uma urticária imaginária e há alguns anúnicios que primam tanto pela cretinice.
Aflige-me que para onde se olhe pululem placards publicitários a apregoar tanta treta desnecessária.
Aflige-me que as estações de rádio usem mais a antena para dar tempo aos patrocinadores de quem dependem como um cão esfomeado depende do dono que lhe traz a malga todos os dias, do que aquilo que a rádio foi feita.
Aflige-me como as celebridades e pessoas de bem se venderam a promover produtos e marcas, de uma forma quase servil...

Afligem-me a tal ponto que me deixam num estado semi-raivoso, em que o meu olho esquerdo começa a piscar num estertor de nervoso miudinho.
Por isso, sou cada vez mais fã de editar o que vejo na TV e gostava de poder estender esta funcionalidade a tantos quadrantes da minha vida. Em que pudesse gravar e ver mais tarde, passando sempre por cima da publicidade e do marketing agressivo em modo fast-fast-forward!

9 comentários:

Joanissima disse...

Compartilho desse sentimento. E entendo-o a blogs desesperados por presentinhos sem jeito ou dinheiro vivo. Abomino-os.

Joanissima disse...

Estendo-o, queria eu dizer.

Naná disse...

Ui, esqueci-me desses! Outra praga!

Especialmente Gaspas disse...

Eu incomoda-me publicidade a créditos, bancos, venda de ouro, depuralinas e afins...

Lacorrilha disse...

A mim também me aflige, mas como quase não tenho tempo para ver tv, é menos uma coisa para me aborrecer.

luisa disse...

...Afligem-me os anúncios pop-up nos jormais online, que me interrompem a leitura das notícias...

Naná disse...

Gaspas, os anúncios a créditos acho-os absolutamente pornográficos e deviam ser totalmente banidos!

Lacorrilha, tu é que fazes bem! Mas o facto é que ao nível da internet tem sido avassalador o peso da publicidade.

Luísa, esqueci-me desses... e é mesmo isso! aliás, há mais publicidade nos jornais online do que as notícias em si...


Carla R. disse...

E quando vais a um festival de musica e no meio de um concerto, num momento mais calmo, ouves a musica do stand da SAPO ou da Vodafone a bombar.
Abomino !
Aqui em Paris existe um movimento fascinante o Anti-pub, de vez em quando um cartaz é atacado (muitas vezes no metro) antes mais com grafittis, mas agora muitos com dezenas de post-its contra a publicidade, contra o consumo, etc. Libertem-nos o cérebro !!

Naná disse...

Carla, quem me dera que aqui aparecesse um movimento desses! Eu aderia certamente. Por mim já ficava satisfeita com um programita ou uma app que permitisse afixar post-it nos sites e blogues!