28 de setembro de 2012

Do "viver acima das possibilidades"

Este chavão tem sido proferido vezes sem conta para justificar os desmandos económico-financeiros dos sucessivos governos e que levaram ao pedido de resgaste e consequente "senda da austeridade".

Mas este chavão sempre pendeu sobre os portugueses, tendo sido arremessado agressivamente contra todos eles, os contribuintes e os demais, como se o pecado fosse nosso e não de quem nos governou e geriu nestas últimas décadas, independentemente da cor partidária.

Ora eu sempre rejeitei este chavão, porque é carapuço que a mim não me serve... 
Porque apenas tenho um empréstimo (isso mesmo, um!), que foi pensado e repensado e alvo de saturada ponderação, porque eu fui educada a não dar passos maiores que as pernas, neste caso a não comprar itens maiores que aquilo que os meus rendimentos pudessem suportar. E mais, pasmem-se mas fui educada a trabalhar para poder ter acesso às coisas de que necessito ou mesmo aquelas de que não necessito tanto, mas que quero ter pelo simples querer!

Feito este disclaimer, atentem na seguinte reportagem e depois digam-me lá quem raio foi o grandessíssimo filho de uma cortesã que andou a viver às custas dos impostos dos incautos contribuintes e a viver acima das possibilidades??!
Digam-me lá porque raio é que o Estado português possuía um imóvel (aliás, vários!) que custa para cima de 300 mil euros anualmente em manutenção?
Eu como contribuinte pagante de impostos não fui tida nem achada nesta aquisição (pois nem nascida era, mas os meus pais pagavam impostos e bem!) e manutenção de um imóvel que mais parece uma galinha dos ovos de ouro, qual vaca sagrada do património do Estado??
Quantos mais imóveis foram adquiridos nestas condições? 
Quantos mais euros são gastos mensal e anualmente na manutenção de imovéis deste calibre? E já nem falo dos carros de grande cilindrada, que devem ser uns bêbados rolantes...

Será que os contribuintes portugueses, que de algum modo têm visto os seus impostos torrados a pagar estes luxos, não ganharam já o direito de ir lá pernoitar uma semaninha e fazer uso daquilo que pagam?!

E o Little Casper ainda tem a distinta lata de dizer na Assembleia da República que não haveria aumento de impostos sobre o trabalho, SE se conseguisse  reduzir a despesa do Estado??!!! SE?? SE??? Como se isso fosse assim uma hipótese impossivelmente hipotética...
A sério, Casper, jovem, não te ocorre nada mais onde se consiga reduzir a despesa pública??!

8 comentários:

MauFeitio disse...

:) não te chateies comigo mas o que me fez mesmo rir foi o "filho de uma cortesã"!!

Tanita disse...

Sem comentários :(
Um beijo e bom fim-de-semana**

Naná disse...

Mau Feitio, pois o resto não é para rir, dá é vontade de chorar!

Teya disse...

Acho que já me conheces o suficiente para saber a minha opinião... tu és é muito educada! :) Bjs com saudades!

Benedita disse...

Estamos entregues à bicharada!!!

Mammy disse...

Eh eh eh eh!! "Little Casper"! O nome assenta-lhe que nem uma luva! :)

E agora pergunto: mas tem havido mais do que uma cor política no governo?
Para mim, é a mesma. Serei daltónica?

Adorei o texto, Naná!
Beijinhos

Arco Iris disse...

Temos sido governados ou seja mal governados por uns incompetentes que de Patriotas não têm nada.
Sobre viver acima das suas possibilidades financeiras, eu conheço muita gente "intituladas novos ricos" que a riqueza só funcionava com cartões de crédito...agora estão a pagar.
Eu, a Naná e muitos outros que fomos certinhos , que não temos nada a ver com isto, estamos metidos neste filme .
Bjs

Naná disse...

Teya, pois eu sou mais comedida do que tu ;) mas a revolta é mais ou menos a mesma!

Benedita, literalmente! Só que eles é que nos tratam como se fôssemos bichos

Mammy, então eu serei daltónica como tu...

Arco Iris, estamos mesmo mal entregues. Aliás, temos estado mal entregues há já demasiados anos...