21 de maio de 2012

Iguarias

Aprendi com a minha mãe a apreciar a iguaria que é comer lapas cruas,  acabadas de descolar das pedras da falésia, com aquele gostinho a sal, acompanhadas com um bom naco de pão.
Aliás, quando íamos à Arrifana, havia duas coisas que a minha mãe levava sempre no saco, além das toalhas de praia e do protector solar: uma faca e um naco de pão!

Melhor que isto, só mesmo lapas suadas na chapa com manteiga!

9 comentários:

Paula disse...

Naná... sem dúvida mais uma para acrescentar à longa lista das:

'As melhores coisas da vida são grátis!'

Beijinhos xx

Maria disse...

Na chapa...venham elas, agora cruas??? Acho que é demasiado gourmet para mim ;)

CoriscaRuim disse...

Quando era pequena, arrancava-as das rochas e comia-as assim mesmo. desde que tive uma paragem de digestão de lapas que não suporto nem o cheiro...

kuka disse...

Também gosto muito. A minha avó adorava e desde muito cedo ensinou-me a comê-las.
E não levava faca, nem pão! Com uma concha de uma lapa apanhava as outras.

Lacorrilha disse...

Cruas? Oh pá, agora deixaste-me curiosa, lá terei de ir às lapas.
Olha que só comi lapas uma vez e foi nos Açores. Um pitéu.

Naná disse...

Paula, é mesmo uma das coisas boas da vida!

Maria, não sabes o que perdes...!

Corisca, auch!... isso aconteceu-me com uma bebida com batida de côco!

Kuka, quando a faca ficava esquecida em casa por alguma razão, tratávamos de arranjar um meio artesanal de as apanhar!

Lacorrilha são mesmo um pitéu. Mas se vais comê-las não te esqueças de remover os "corninhos" e a tripa que vem agarrada! Uma delícia!

Arco Iris disse...

Náná, o mar na realidade é uma das coisas que nos identifica e com ele vêm as lapas.
Que saudades do arroz de lapas (feito pela minha avó).
E também ir apanhá-las para a salada de lapas.
Obrigada por tão boa recordação.

Paulo Nunes disse...

Lapas cruas? arghhh acho que não conseguia! se fosse na arrifana teriam que ser das pedras lá do fundo e não as que estão ao pé dos barcos.... :)

luisa disse...

Cruas acho que nunca comi. Mas lembro-me de as haver mais numerosas quando eu era criança. Ultimamente tenho comido umas excelentes (na chapa, com manteiga de alho e sumo de limão) vindas diretamente da Madeira (trazidas pela cunhada). Bem bom!