27 de abril de 2012

Shoe dilema


Sim, preciso!
Não por uma questão de moda ou de vício na compra de sapatos, essa eterna perdição da classe feminina.
Digo "preciso" porque os sapatos que tenho para esta meia estação estão a dar as últimas... (2 pares – sim, podem começar a apedrejar-me os que acham que ter dois é muito bom e que-há-muita-gente-pelo-mundo-que-nem-um-par-tem...) uns estão todos escavacados, outros rebentaram as costuras e abriram a boca e mais parecem um bicho esfomeado.
As minhas botas de inverno estão todas descanastradas depois de 4 invernos a serem usadas intensivamente...
Sempre fui esquisita a comprar calçado... por norma detesto dar muito dinheiro por um par de sapatos, principalmente porque a ideia de gastar dinheiro numa coisa que vai andar no chão a sujar-se em tudo quanto é porcaria, faz-me recuar perante um preço exorbitante.
É claro que gosto de andar bem calçada, mas se posso fazê-lo por 40/50€ em vez de 100€, porque não?!
Também procuro escolher sapatos em que a relação preço qualidade esteja ajustada. Sou cuidadosa a escolher, e não me tenho dado muito mal, tendo em conta que a grande maioria dos meus sapatos dura pelo menos três "épocas".
Por vezes lá me "apaixono" por uns sapatos e não descanso enquanto não os compro. Quando se estragam ou estafam fico mesmo triste e até mesmo desorientada, porque a tentação de tentar encontrar uns que sejam em quase tudo semelhantes é enorme. O que torna a escolha duns novos para os substituir ainda mais difícil e complicada.
Outro critério de escolha que orienta a minha compra de sapatos é o conforto. Detesto mesmo gastar dinheiro em sapatos que depois vão ser verdadeiros objectos de tortura para os meus pés e para a minha coluna... e aqui reside a maior dificuldade que tenho tido em encontrar sapatos que cumpram o critério.
Ou acabo por comprar sempre sapatos rasos e ou então, se pretendo comprar uns sapatos com salto, é o cabo dos trabalhos, porque nos dias que correm as sapatarias pululam em sapatos totalmente rasos ou uns verdadeiros escadotes com saltos de 10 ou 12 cms, que eu me recuso a usar, porque o mais certo seria passar metade o dia a tentar equilibrar-me em cima deles, para não cair uns valentes trambolhões. Não é muito fácil encontrar sapatos no meio termo, pelo menos nas minhas bandas...
A frustração que segue a uma visita a uma sapataria é coisa que me dissuade de entrar noutra durante pelo menos uma semana. Apetece-me dizer palavrões e impropérios e perguntar aos criadores e designers de sapatos se só sabem fazer calcantes com saltos alucinantes!?
Nas raras vezes que encontro sapatos com um salto médio, a frustração acaba por ser outra... é que se eu quisesse usar sapatos iguais aos da minha tia-avó de 80 anos, não ia à procura numa sapataria, ia antes a uma loja de calçado ortopédico ou a uma farmácia.
Durante os anos em que trabalhei na construção civil, estes dilemas foram mais ou menos relegados para segundo plano, visto que durante 3 ou 4 anos não foi preciso adquirir mais sapatos, já que o calçado de "eleição" era a bota de biqueira de aço e não a sandaloca para andar a chinelar... ou a bota de cano alto a condizer com a saia curta. Os que se foram "reformando" nesses anos, não foram substituídos por outros e a minha sapateira foi-se esvaziando progressivamente.
Agora que o ambiente laboral é outro e traz consigo algumas "exigências" de indumentária (há um espelho enorme à entrada do local de trabalho com uma frase por cima a lembrar que a minha imagem contribui para a imagem da empresa!), a preocupação em não andar com sapatos esmifrados começou a aumentar...
Irra, que cada vez detesto mais precisar de comprar sapatos!

Sim, podem achar-me uma fútil! Estejam à vontade...

6 comentários:

carla disse...

Partilho do teu problema. No meu caso são as botas da chuva.

Beijo

triss disse...

Uma mulher nunca tem sapatos suficientes. Nem malas, diria eu.
De há uns anos para cá descobri uma coisa maravilhosa chamada outlet, e desde aí nunca mais paguei mais de 25 euros por um par de sapatos. Maravilha!

Maria disse...

PAra mim, comprar sapatos é um suplício! Ainda por cima esta temporada as minhas botas decidiram morrer todas de uma vez...Para o ano nem quero pensar!

Naná disse...

Meninas, obrigada... é que eu achava que era a única com este tipo de "manias"...

Triss, pois, a minha perdição maior sempre foram as malas, mas mesmo nisso ando muito comedida!

Mammy disse...

Eu também detesto comprar sapatos, ou melhor, eu detesto sapatos!
Bjs

AD disse...

Estou com o mesmo dilema e espero não me arrepender por comprar sapatos de meia estação!
Se a primavera já cá cantasse, não precisava de comprar nada!
A culpa é do tempo, maldito, que me obriga a compra de mais um par de sapatos!