5 de fevereiro de 2012

Dia 5 - something I wore


Vesti e usei com imenso orgulho!
Muito maior do que alguma vez imaginara que viria a ter.
A minha capa preta de estudante de Coimbra!
Quando me candidatei ao ensino superior, nunca imaginei que iria entrar na "cidade dos estudantes".
Aliás, estava absolutamente convicta que ficaria pela capital à beira do Tejo...
Apanhei um choque quando vi afixado na pauta das colocações "Universidade de Coimbra", eu que sempre achara que os estudantes de Coimbra eram todos uma cambada de snobs elitistas e filhinhos de paizinhos ricos ou então de cromos com uma carola enorme que passavam a vida encerrados nos quartos quase sufocados em páginas de livros... (não me perguntem porquê).
Quando me falavam em espírito académico e que lá em Coimbra é que era, eu até revirava os olhos de enjoo, porque achava que era tudo uma campanha publicitária para vender uma Universidade, com o slogan do "prestígio" (novo revirar de olhos)!
O meu pai, já viúvo debateu-se entre a profunda tristeza de me saber a 500 km de distância (em vez de apenas 280 km) e o orgulho de pai babado duma "estudante de Coimbra". Digamos que nos meus últimos anos de estudante, o último prevaleceu claramente...
Foi preciso estar em Coimbra, ser caloira, ser praxada, entrar no mítico Pratas (tristemente encerrado anos após eu ter concluído), ir à Serenata, participar na Queima das Fitas e envergar o traje cumprido todos os ditames do Código da Praxe, mas principalmente ter encontrado uma série de excelentes colegas e amigos para eu perceber o que queriam dizer com "o espírito académico"!
Sei que se tivesse entrado em Lisboa, não teria sido uma estudante tão feliz, afortunada e rica em amizades que ainda hoje se mantêm!
Guardo-a com carinho e todo o saudosismo possível, com os seus 7 emblemas e os rasgões de cada um dos colegas e amigos!

13 comentários:

MauFeitio disse...

:) assino por baixo. só que eu estudei no Porto. A minha capa está uma lástima, gastei 3 pares de sapatos do traje, a minha saia estava a dar as últimas. Mas fui praxada, praxei (ainda hoje o faço como mestre-tuna que nunca deixarei de ser) e aprendi muito com isso!
Um abraço,

abspinola disse...

Boa recordação
Muitas boas memorias.
Bjstos
Have a nice day

Violeta Extravagante disse...

Boas recorações e boas memórias fazem de nós pessoas mais felizes, sem dúvida!!

Beijinho

mão da mãe disse...

sem dúvida que são momentos inesquecíveis!
dia feliz*

Joana Dias disse...

Só quem passa em Coimbra, sabe o que esta cidade esconde...

E como diz a velha canção: "Capa negra de saudade no momento da partida. Segredos desta cidade, levo comigo pra vida...."

Beijinho*

mfc disse...

Gostei de ler este teu texto emplogado e saudoso!
Andei por Coimbra entre 70 e 75... tempos em que a praxe estava abolida!
E até 74 prevaleceu o Luto Académico como forma de oposição ao regime de então.
Outros tempos!

Rit♥Catita disse...

Estudaste na Faculdade de Economia tal como eu. Eu licenciei-me em Sociologia.
Em que ano entraste?

Isilda disse...

Naná, graças a ti descobri hoje este desafio! Decidi participar, apesar de estar um pouco atrasada, mas penso que consegui recuperar!
Obrigada
Beijinho

Ana disse...

Gostei muito, mais uma vez, da tua descrição :)

Beijinhos e uma boa semana :)

Naná disse...

Obrigada a todas pelos comentários!

Joana, é mesmo isso! A saudade fica sempre!

Mfc, lembro-me de na primeira semana em que entrei ter ouvido falar do luto académico!

Rita, entrei em 1996 e saí já em época especial em Janeiro de 2001. Às tantas cruzámo-nos naqueles corredores!

Ni! disse...

:)))
Beijo!

Tanita disse...

Sabes que eu também tenho mas usei-a tão pouco. Para mim foi um desperdício de dinheiro. Bj**

Marisa disse...

Também guardo a minha com carinho!!!
Bjinho