4 de janeiro de 2012

O Regresso - Victoria Hislop

tirada da net
 Demorei mais tempo do que pretendia a ler este livro de 460 páginas. Terminei-o no primeiro dia deste ano.
Gostei imenso da história no geral, mas confesso que tive momentos de esmorecimento, em que parecia que a história esfriava e me fazia perder o interesse. Depois alternava com outros capítulos em que só me apetecia devorar as palavras, página após página.
Gostei do livro principalmente pelo relato daquilo que deve ter sido uma ínfima parte da história da Guerra Civil Espanhola e da implantação do regime franquista.
Foi de ficar absolutamente arrepiada pela forma realista como narrou os abusos e barbaridades cometidas em nome de um ideal político. 
Confesso que em dado momento, especialmente por épocas natalícias me ajudou a conter-me mais, porque ler sobre pessoas que tinham perdido familiares, filhos pequenos, as casas e todas as suas posses numa guerra que nunca pediram, fez-me perceber que tudo na vida é efémero, especialmente aquilo que hoje damos por adquirido, como uma mesa farta, o conforto de um lar, meios de deslocação e comunicação rápida própria de tempos de paz. 
E a liberdade, principalmente a liberdade individual!!
Dei comigo a pensar: nestes dias de turbilhão económico-social, se alguém se lembrasse de querer impor um ideário politico pela repressão, talvez passássemos pelo mesmo...
Pelo realismo e pelo facto de saber que aquilo ocorreu, por muito ficcionada que tivesse sido a história, tive momentos em que não consegui pegar-lhe para ler...
Talvez por isso, agora tenha optado por uma história mais leve e alegre!

4 comentários:

mfc disse...

Uma realidade tão dramática... e aqui bem pertinho!!
Os homens são mesmo uns bichos!

Arco Iris disse...

A leitura transporta-nos para as realidades da vida, às vezes duras...
Bjs =)

AvoGI disse...

eu tb gostei da leitura e assim como tu houve momento sem que intervalei
kis .=)

Lacorrilha disse...

É o meu género, então.
Estou farta de o ver ali na minha livraria do costume, a ver se amanhã consigo passar por lá.