26 de setembro de 2011

Misto de sensações

Foi o que senti quando fui levantar os meus pertences, que apareceram na berma da A22, e que foram entregues na GNR em Loulé.
Em primeiro lugar, estava cansada, tinha dormido pouco, porque deitei-me tarde e tive que acordar na mesma às 7h30, como todos os dias (logo eu que sou uma dorminhoca e aproveito o fim de semana para repor horas de sono...) porque iam começar obras de remodelação dentro de minha casa.
Quando lá cheguei confrontam-me logo com a hipótese de ter feito a viagem para nada, porque se não estivesse ninguém na secretaria a dar expediente tinha que voltar em dia de semana... estava a preparar-me para ripostar e dizer que tinha lá ido a mando do Sargento-Chefe Silva que ligou ao G.; depois de ter encontrado o cartão da SAD-GNR do F. na minha carteira. 
Só um aparte - tenho cá para mim que se acaso não tivesse um cartão de "sócio" da GNR dentro da minha carteira, ainda lá estaria, jogadinha às traças... 
Mas afinal haviam 3 pessoas na secretaria e havia expediente.
O processo que se seguiu de me passarem o organizador de mala que eu costurara um mês antes do assalto (a mala nem vê-la, mas isso não faz mal nenhum, já que nem era das minhas preferidas), foi algo estranho. Tentar perceber tudo o que conseguiram recuperar... a carteira estava vazia e toda estropiadinha, rebentaram com ela, talvez ao tentarem encontrar algum compartimento secreto que pudesse ter algo de valor. Depois estavam todos os meus documentos pessoais, todinhos mesmo! E os do F. também, o que é óptimo, porque assim sempre poupo os 8€ do CC. A minha carta de condução também lá estava, o que significa que não vou gastar 30€ numa nova e nem passar 2h na fila no IMTT de Faro.
Estavam as minhas fotos todas, do F. e do G. que tinha dentro da carteira. Deixaram um cartão de de crédito, mas isso de pouco serve, porque foi cancelado.
Deixaram cartões de visita e os de cliente de lojas diversas... Dá jeito, porque não ia pedir segundas vias concerteza...
Deixaram todas as minhas chaves, o que também dá jeito!
Deixaram o me porta-moedas de estimação e as moedas de plástico para os carrinhos das compras do hipermercado.
E deixaram uma peça da máquina de costura...
(E não, Tanita, não estava o carrinho do F., o Faísca McQueen... )
Se por um lado fiquei feliz por reencontrar tudo aquilo, não posso negar que a decepção que senti quando não encontrei o meu caderninho preto da Moleskine, com as minhas notas pessoais, pensamentos avulsos e afins, foi maior. 
Tem-se sempre esperança quando nos dizem que recuperaram pertences roubados, e eu empolei a minha nesse aspecto e sobre esse objecto em particular. 
Por isso, fiquei contente, mas assim-assim!...

Depois seguiram-se os trâmites legais todos: assinar declarações a dizer que tinha levantado isto e mais aquilo... e assinar a declaração a dizer que continuava a desejar procedimento judicial!
Pois claro que quero!! Raizosparta por me terem despojado das minhas coisinhas que podiam não ser nada de especial, mas eram minhas. Eram na sua maioria prendas e algumas delas, poupei para as ter!
Mas acrescentei: se bem que a justiça comigo tem funcionado pouco... os últimos que roubaram, foram julgados e condenados e andam à solta na mesma!
Ao que o GNR que gentilmente me atendeu, replicou: "pois apanhá-los é uma coisa, depois a justiça é outra coisa...", como que a confirmar aquilo que eu tinha acabado de dizer.

6 comentários:

Caminhante disse...

Olá Naná. Ainda bem que as tuas coisas apareceram. Acredita que a justiça dos Homens é lenta mas a justiça divina não falha! Tudo o que dizemos e fazemos nesta vida agente paga em vida, acredita mesmo!
Desejo-te uma boa semana. Beijinhos

mfc disse...

De que trabalheira te livraste!!!
O resto... não é importante!
Muitos beijinhos.

Adriana disse...

Desinfecta tudo!!!

Tanita disse...

Oh querida mas pelo menos apareceu alguma coisa. Claro que já tinhas dado tudo como desaparecido por isso pelo menos os documentos recuperaste. As moedas do supermercado também dão jeito, quantas vezes tive de levar as coisas num cesto? mas o faísca? isso não perdoo, nem o F. de certeza, mas se calhar os larápios tinham um filhote e quiseram fazer-lhe uma surpresa: "ah filho olha lá o que o papá hoje comprou (ganhou) para ti".
Bj**

Naná disse...

Caminhante, quero crer que sim, que no final haverá justiça!

Mfc, é verdade, seria uma grande trabalheira e com a pouca vontade que eu tenho para enfrentar serviços públicos...

Adriana, pus tudo o que podia a lavar e o resto terá que levar borrifos de desinfectante!

Tanita, podes crer, foi mesmo o que pensei... ficaram com o carro e os óculos de sol do F. para darem à criancinha (que coitada não tem culpa que o pai se lhe "agarrem coisas alheias às mãos"...)

Ni! disse...

Nem me tinha apercebido da boa nova assim-assim! Alguma coisa se salvou, olha, já não contavas com nada...
Beijo grande.
Sei que tenho estado ausente, mas venho sempre aqui saber as tuas novidades e ler os teus pensamentos!