5 de setembro de 2011

Casamentos, filhos, vírus, família, amigos e dores!

Este fim de semana, a minha querida prima MD deu o nó!
Ela nunca acreditou que um dia ia encontrar a felicidade, mas sempre lhe disse que tivesse calma e paciência e que um dia, ela ia encontrar "aquela" pessoa que a faria feliz e ela a ele! E assim foi!! Porque a minha veia de "bruxinha" não falha! Nunca!
Foi um casamento lindo, pela simplicidade com que se realizou. Pela calma dos noivos, pela alegria esfuziante dos amigos e família toda reunida, todos apostados em contribuir para que este dia que era tão especial para eles, fosse ainda mais!

No entanto, foi um dia algo complicado para mim... deitei-me tardíssimo na véspera, depois de uma ida ao SAP e depois outra à Urgência Pediátrica com o F. que foi "apanhado" por um vírus manhoso, que lhe inflamou a garganta e ouvidos, isto diagnosticado no SAP, e sem falar das borbulhas que apareciam quais cogumelos e que motivou a ida à Urgência Pediátrica (que é dos locais onde mais detesto ir, e só em casos que ache fundamental) porque não sabia se ele estava a ter alguma reacção alérgica ou coisa do género. Afinal, era o vírus manhoso que provocava tudo e não havia razão para alarme (levei nas orelhas por ter ido lá com uma coisa pouco significante, segundo o médico... mas que para mim era importante saber se era para me preocupar, já que nunca o F. tinha exibido tais sintomas, mesmo com febres mais altas... tive que ser um bocado cínica com o sr. doutor, que depois de eu lhe ter respondido diplomaticamente, percebeu a razão do meu "alarmismo").
A manhã foi um stress, andei sempre a correr e cheguei a casa às 14h, quando ainda tinha que me vestir, o F. também e preparar a logística toda dele para levar e às 15h30 tinha que estar no local, porque a cerimónia era às 16h.
Com a correria, cheguei 10 minutos antes da noiva, que era o que interessava!
Foi uma cerimónia muito simples, cheia de surpresas, coreografias encenadas pelos noivos para os convidados, uma da noiva para surpreender o noivo, e outra do noivo para surpreender a noiva, e outra para os miúdos pequeninos como o F. que ainda tiveram direito a prendas e tudo!
O F. conseguiu fazer duas birras descomunais, uma quando ia para atirar o arroz (que não consegui) e outra quando foi para sentar à mesa para jantar... O facto de a hora da sesta ter coincidido com a hora da cerimónia não ajudou mesmo nada. Ele estava murchinho e com pouca vontade de brincar com os outros miúdos, como habitualmente... só conseguimos adormecê-lo era já quase final do dia, e dormiu enquanto nós lá jantámos...
Quando acordou eram já 21h30 e depois de estar uma hora só a pedir colo, começou a ouvir a música na pista de dança e ligou as pilhas Duracell que duraram até quase à 1h da manhã. Era vê-lo a dançar comigo na pista, enquanto o papá G. descansava a coluna de tanto estar com ele ao colo...
Eu aguentei os saltos agulha que comprei (os primeiros nestas 3 décadas de vida, não sei o que me possuiu para ir para um casório em cima dum "andaime fino" de 10 cm) até às 22h30, altura em que simplesmente as descalcei e dei largas à dança, como há muito não fazia e do qual tinha tantas saudades!
Em suma, foi um dia carregado de emoções: felicidade, alegria, preocupação, cansaço, emoção, etc!
A minha prima MD estava linda, o vestido era simples, mas de uma beleza enorme como a caracteriza, os noivos espelhavam felicidade e os convidados deixaram-se contagiar e alinharam em tudo o que os fizesse felizes! (quando era miúda sonhava casar assim, agora dispenso... prefiro uma coisa bem mais simples, prática e discreta!)
A minha família revelou-se aquilo que eles são: unidos sempre, na felicidade, na alegria, como o são nos momentos difíceis e mais tristes!
O G. mais uma vez revelou-se o meu companheiro fiel e altruísta, que desgraçou a coluna com o F. ao colo, só para que eu pudesse dançar até à exaustão! Um marido e pai dedicado como sempre foi!
É nestas ocasiões que dou ainda mais valor à família e aos amigos que tenho, que estão sempre lá e principalmente agradeço por ser parte deste "grupo".
Agradeço também por ter encontrado o G. e apesar de não sermos casados no papel, somos muito mais marido e mulher que muitos que se casaram!
E temos um filho lindo que nos deu uma estafa daquelas, que nos provocou dores em tudo quanto é articulação! Mas que mesmo estando doentinho, portou-se bastante bem!

6 comentários:

Manuela disse...

Querida naná, apesar de ter sido um dia um bocado stressante, acabou por ser feliz! E isso é que é importante e te ficará na memória. :)

Naná disse...

Sem dúvida, Manuela! :)

Tanita disse...

10 cm e agulha?? já te disse que eras a minha heroína, não já?

mfc disse...

O amor é que conta... os papeis só atrapalham!
Parabéns por seres assim.

Ana (A mamã é só minha) disse...

Ainda bem que tudo correu bem :)
Desejo-vos as maiores felicidades, como casal e como família.

Identifiquei-me muito com parte deste post.

Beijinhos

Naná disse...

Tanita, qual heroína, eu sou mas é maluca! Comprei um instrumento de tortura, é o que é...

Mfc, obrigada! Os papéis atrapalham, mas nos dias que correm ainda há muita discriminação por quem não é casado de papel passado...

Ana (A mamã é só minha), obrigada!