1 de janeiro de 2011

A tradição jão é o que era...

Todos os anos, por esta altura da passagem de ano, tinha alguns "tiques" de tradição que costumava cumprir sempre!...
Consistia em olhar para a minha lista de desejos do ano anterior, picar os que tinham sido alcançados, os que não tinham sido atingidos porque ou perdera interesse nisso ou porque deixaram de fazer sentido ou porque as circunstâncias não o tinham possibilitado.
E com base nisso redigia de novo uma lista de 12 desejos.
À medida que o dia  ia avançando ia sentindo um "frisson" na barriga, como que borboletas no estômago, como que a antecipar a alegria que ia sentir no momento das doze badaladas.
Para as doze badaladas reservava sempre 12 passas, como que a simbolizar cada desejo formulado.
Este ano não fiz a lista e nem reservei passas nenhumas... comprei uma garrafa de espumante que ainda permanece intacta no frigorifico.

Apesar de achar que isto das passagens de ano, como diz o Miguel e bem, não muda nada, porque no dia seguinte as coisas boas permanecem lá, assim como as menos boas, costumava fazer balanços e sempre encarei este momento como um momento de renovação de energia, em que a positiva se sobrepõe à negativa.

Mas agora que parei e faço o balanço, porque esse tenho sempre que o fazer, porque sou assim mesmo e não seria euzinha se o não fizesse, tomei consciência de uma coisa: há uma nota comum no meu estado de espírito hoje e há precisamente um ano atrás, quando me despedi de um 2009 doloroso e acolhi 2010 com alguma esperança renovada! Há um sentimento que é comum: a tristeza.
No ínicio de 2010, sentia-me triste pela perda física de alguém que me acompanhou sempre e que foi uma das razões de eu existir. Agora no ínicio de 2011, sinto-me triste pela perda emocional de uma pessoa que me conhece bem mas que parece já não estar disponível para mim, mesmo quando eu continuo disponível para ela. Infelizmente já aprendi a lidar melhor com a primeira situação do que com a segunda...

Mas isso não quer dizer que não tenha esperança no ano que agora começou a correr o seu curso... aliás, pelo contrário! O número 11 sempre me trouxe muito bons auspicios, mesmo! Senpre o encarei como um número que me traz sorte e coisas boas. Por isso, acho que este ano vai ser um ano bom, mas acima de tudo: diferente!
Acho que muita coisa na minha vida vai mudar!! Estou quase certa... vá lá, digamos a 98,9%... mas porque já me conheço e sei que levo um certo tempo a ambientar-me às mudanças (mesmo as boas, mesmo boas!) é que esteja talvez assim mais macambúzia, também!
Mas que 2011 não vai deixar nada igual para mim, ai isso não vai!

P.S. - Bem, parece que já começo a ganhar ânimo para escrever alguns desejos, mesmo que não cheguem aos 12... e assim também é bem capaz de ser mais fácil ver o que alcancei e fazer o tal balançozinho do costume!...

2 comentários:

Crente disse...

Feliz 2011, Naná!
Que este ano te ajude a realizar todos os teus desejos, mesmo aqueles que não coloques numa lista, sim?
Beijos

Naná disse...

Crente, obrigada!
E feliz 2011 para ti também!