25 de abril de 2009

Liberdade!

tirada da net


Hoje é comemorado o dia da Liberdade em Portugal, mas isso todos já sabem...

Não vivi o 25 de Abril, mas beneficiei de tudo o que ele trouxe. Posso concerteza dizer que me sinto feliz por viver no tempo em que vivo e por viver relativamente bem, sem grandes chatices de maior!

Sinto-me feliz de poder ir onde me apetece e não ser controlada, de poder expressar as minhas opiniões políticas abertamente, de poder dizer o que me vai na gana sem o risco de alguém aparecer para me prender ou me "interrogar". De poder escrever livremente os meus pensamentos, aqui neste blog e sem o lápis azul de uma qualquer censura.

No entanto, não sendo mesmo nada defensora dos tempos que já lá vão de ditadura, ouço o meu pai falar desse tempo e dizer que "naquele tempo" vivia-se razoavelmente e no dia-a-dia não sentia o jugo do regime ditatorial... mas conta que haviam pessoas a serem presas porque o invejoso do vizinho os tinha denunciado à PIDE por serem contra o regime, mesmo que fosse a maior das mentiras. Era assim que pessoas inocentes eram injustiçadas nesses tempos e como tal havia medo...

No entanto, a minha tia Albertina (essa grande sr.ª que me inspira com o seu modo de ser...) uma vez disse-me: "naquele tempo o que havia de mais, hoje há de menos; e o que havia de menos, hoje há de mais!".

E não posso deixar de concordar com ela... uma das coisas que ela dizia era que naquele tempo havia fome e hoje assiste-se ao desperdício desenfreado. Ela contou-me que ia ao supermercado na vila uma vez por mês porque não tinha dinheiro para pagar o bilhete de autocarro, e que o meu primo tinha pouca roupa, o fato domingueiro com um par de sapatos, porque durante a semana andava com roupa remendada o mais possível e muitas vezes andava descalço...

Outra coisa que ela diz é que hoje há liberdade a mais... e concordo com ela até certa medida, porque hoje todos somos livres, mas as liberdades de uns esbarram com as de outros, porque a liberdade de um termina quando começa a de outro. E essa é uma thin red line... e muitas vezes posso dizer concerteza que sinto que me pisam a minha liberdade e não posso garantir que não o tenha feito já com outras pessoas...

Por isso, a liberdade é um termo muito ambiguo, tal como tudo o que ela representa!

Podemos ser livre e não nos sentirmos como tal...!

4 comentários:

g2 disse...

Com certeza que pode dizer tudo isso...

momentoshistericos disse...

Escreves sobre muitas verdades...
Acho que uma democracia em que os governantes não fossem corruptos e tivessem pulso forte resolveria com todos os problemas deste país!

;D

Naná disse...

Podes crer, Histérica!
Mas acho que com a liberdade também devia de vir o civismo e a cidadania...

Meia Lua disse...

"Ser cultos para ser livres" para mim é o primeiro passo... depois o respeito pela individualidade alheia... e assim meio caminho andado. ;) bjinhos