17 de abril de 2014

Semanário de gravidez #12

Actualmente em modo balofa.

Olá cãibras nos gémeos a meio do sono, de ficar com os músculos presos e completamente doridos e  na manhã seguinte ainda andar meio coxa...

Olá tornozelos inchados.
Olá pés inchados (ainda não a ponto de deixar de calçar os meus sapatos de sempre...)
Olá mãos ligeiramente inchadas...

De resto continuam as sessões de kick-boxing ou então é de boxe mesmo, tendo em conta que ele está virado e onde sinto mais movimentações é na zona do baixo ventre.

Já começo a ter sérias dificuldades em curvar-me e por este ritmo estou a ver que daqui por umas semanas, começo a precisar de pagem para me ajudar a calçar sapatos.

Os meus ciclos de sono andam todos destrambelhados, tenho períodos de sono durante o dia, em que se apanhasse uma poltrona ferrava a dormir, ressonando vigorosamente. Mas à noite... parece que antes da 1h da manhã não há sono que me chegue, apesar de eu deitar contas à minha vida sobre como me vou conseguir levantar na manhã seguinte para ir trabalhar com apenas pouco mais de 6h de sono... 
 
O curioso é que me sinto mais enérgica do que no primeiro trimestre e quero abarcar o mundo em afazeres e projectos que tenho em mente, que depois não consigo plenamente concretizar dadas as minhas limitações físicas.

A roupa do bebé está toda pronta a ser colocada na mala de maternidade e à distância de cinco anos que tem agora o Falipe, olho para as camisolas, calças e meias e fico com a sensação de que estou a mexer em roupa de Nenucos. É incrível como a nossa percepção das dimensões muda de uma forma tão drástica.

Todos à minha volta clamam que estou gigantesca, mas eu não me convenço disso! No entanto, há dias houve uma colega de trabalho que me disse que eu devia estar sempre grávida, já que fico mais bonita do que não estando. Ainda estou a decidir se considero isto um elogio ou um insulto...

Incomodam-me já os cinquenta mil anúncios a produtos e dietas milagrosas para emagrecer, na tentativa de todos ficarem esbeltos até ao verão que se avizinha. Não porque eu não possa nesta fase emagrecer e esteja numa fase de "evolução corpórea", mas porque simplesmente ouvir aquelas balelas me provoca náuseas...  ouço os pregões e soa-me tão a falso, tão a engano. É certo que sei que terei que ter cuidado no pós-parto, mas estou mais virada para uma reeducação alimentar do que para dietas fantabulásticas, que só servem para enganar temporariamente o freguês.

O Falipe começou a chamar-me carinhosamente "mãe barrigudinha" e só espero que ele perceba que este estado é temporário!

3 comentários:

Magda E. disse...

já me fartei de rir com a última frase. Eu tb comecei há uns dias a ter caimbrãs, mas felizmente tem sido durante o dia, custa menos que aquelas a meio da noite que nos acordam aflitíssimas.

dona da mota disse...

Em relação ao sono de dia tenho uma colega que dormia meia hora sentada na sanita lá do trabalho depois do almoço. Eu nunca consegui na casa de banho, que até é limpinha mas acordei várias vezes frente ao computador com a minha colega a rir-se.
Agora viajei no tempo pois nunca mais tinha pensado nisso mas quando referes que a roupa parece de nenuco, de facto, quando voltamos a ter um bebé as dimensões da roupa parecem desproporcionais, irreais mesmo!

Beijinhos e boa continuação!!!

Lacorrilha disse...

Eu não tenho dormido nada, é o meu maior mal. A Benedita já pesa 1,300 kg às 25 semanas, mas eu ainda só engordei 2,200 kg. A miúda está no percentil 90 tanto no peso quanto no comprimento. Vou parir uma girafa.