21 de janeiro de 2014

Semanário de Gravidez #1

Quando se entra em "estado de graça", há sempre o conselho de fazer um diário de gravidez. Como não tenho tempo nem muita paciência ou energia para isso, pelo menos numa base diária, nada como fazê-lo de forma semanal.

Se calhar já devia ter começado há mais tempo... afinal de contas, já se contam 18 semanas de gravidez... já passei da fase de gorduchinha roliça, para a fase lontra e encontro-me actualmente a entrar na fase baleia.

Ontem fui toda lampeira vestir as minhas calças de grávida... querias, não querias, Naná Maria?! Isso foi há 15 kgs atrás...

É incontornável estabelecer paralelos com a gravidez do Falipe, que no primeiro trimestre foi marcada por preocupações com a minha segurança física, já que nessa altura tinha que andar a subir e descer andaimes, para vistoriar as condições de montagem... a obra parecia-me uma espécie de zona de guerra cheia de perigos e eu tinha atenção a cada passo dos caminhos que fazia por entre cofragens e paredes de tijolo frescas.

Desta vez, a maior preocupação foi de cada vez que o Falipe me pedia colo, apesar de estar quase com 5 anos... custou-me imenso sentir que tinha que negar-lhe colo, arriscando assim suster os seus 22 kg nos meus braços, contrariando os avisos da minha médica de família.

Desta vez as preocupações que povoam a minha mente têm sido mais de ordem emocional, já que há aspectos a ter em conta quando se vai ter um segundo filho, de certa forma já mais ou menos sabemos ao que vamos... ou não! Por mais que tentemos ser práticas e racionais sobre estas questões, é fácil perceber que há sempre a possibilidade de ciúmes do primogénito e a eventualidade de este se sentir relegado para segundo plano e sentir que a atenção que antes era toda direccionada a si, é agora dividida e canalizada para um outro ser que ele mal conhece.

A acrescentar a estes pseudo-dramas-existenciais, temos o facto de as alminhas iluminadas que gerem os hospitais algarvios, agora fundidos num só, possivelmente terem caca de galinha no lugar do cérebro e acharem por bem que as mulheres que precisem de parir tenham que se deslocar a Faro, mesmo que para isso tenham que percorrer 60 km ou mais. O serviço de maternidade e obstetrícia existentes em Portimão estavam bem organizados e apetrechados, tanto de equipamento como de pessoal, mas em vez de se manter um serviço que funciona bem, não... toca a rebentar com tudo, sem qualquer consideração ou respeito pelos utentes... quando se pensava que somos um país "civilizado", eis quando nos apercebemos que não somos assim tão diferentes dum país de terceiro mundo... juro que se tiver o meu bebé em plena A22 ou EN 125, não responderei por mim... também já me passou pela ideia montar acampamento à porta do Hospital de Faro uns dias antes...

A pergunta sacramental que todos me colocam é: então e já sabes se é menino ou menina? O que leva sempre à mesma resposta... ainda é muito cedo para conseguir saber isso...

Mais de resto, estou feita uma sopeira! Só me apetece comer canja de galinha, caldo verde e todas as sopas existentes e mais algumas... se esta criança não gostar de sopa, não poderei dizer que não foi por falta de ter comido na gravidez!

O Falipe parece contente com a novidade de vir aí um/a irmã/o... mas ainda não se decidiu em relação ao que prefere, como se ele tivesse voto na matéria... já que nuns dias quer um irmão, e noutros prefere uma irmã. Já começou a querer inventar nomes, mas confesso que as suas escolhas me desagradam...

Os humores inconstantes não têm sido lá muito pacíficos, mas eu faço um esforço bem grande para os dominar e não deixar que eles levem a melhor de mim. Porque afinal de contas, as hormonas andam por aqui aos saltos, num labor frenético, mas os que me rodeiam não têm culpa nenhuma disso. E além do mais, eu posso ter mau feitio, mas não tenho qualquer perfil para ser uma grávida rabugenta!

Post editado - afinal a maternidade não vai fechar... mas pode dar-se o caso que o parto tenha que ser em Faro... 

10 comentários:

av disse...

A Maternidade do Barlavento fechou/vai fechar????

Naná disse...

Av, tudo indica que sim. Há grávidas que tinham os CTG's marcados em Portimão, e que acabaram por ter que os fazer em Faro e hoje à hora de almoço a SIC dava a notícia de que a falta de obstetras e pediatras em Portimão levou a que os partos sejam agora realizados em Faro...

av disse...

Glup!
Se quem é de Monchique já se queixava dos 24 km que tem de fazer até Portimão e já houve alguns partos pelo caminho, cheira-me que tendo de ir para Faro, os bombeiros vão ser padrinhos de muita criança...
Não penso que se justifique a centralização em Faro de um serviço como esse. Há coisas que não se entendem, realmente...
E felicidades para a gestante e família! :D

Paula disse...

Nanázinha, alguns comentários:

1) Tenho algumas peças de grávida para dar...Se quiseres eu ia ficar feliz.

2) Eu tive os dois pirralhos em Faro e não é perfeito mas não trocava as equipas deles por outras. Além disso, 'fontes internas' do Barlavento disseram que se tivessem de ir com o filho à urgência nunca seria em Portimão mas sim em Faro. Sendo 2º filho faz um esforço para sair mais cedo e vai até à capital... mas vai pela via do infante. Se fores pela 125 ainda me vais bater à porta para ter a criança lá em casa ;)

3) Não te preocupes demasiado com a reacção do F. Vai ser pacífico, a maioria é.

4) Ai as hormonas... não tenho saudades nenhumas disso...

Beijoquinhas, diz-me qq coisa do ponto 1 e continuação de bom estado de graça xx

M♥M Susana disse...

Não há como perceber isto( da maternidade de portimão), a sério que não consigo... Não é por mim porque moro muito perto do hospital de faro mas pelo que essa decisão irá implicar. São uma cambada de mentes captas que se lembram de tal coisa!! Somos números apenas e depois não me venham dizer que Portugal precisa de mais nascimentos quando estas condições não são propriamente as melhores. provavlemnte aos 1ºs sinais de parto terás que te deslocar ainda que não tenhas as condições para te internarem... Eu só fui para o hospital quando senti o parto estar avançado mas nessas circunstâncias imagino como irá estar a maternidade em faro, um caos suponho, porque a capacidade de resposta a medo de parir na auto-estrada irá em muito aumentar o desagrado dos profissionais em não conseguir responder às aflições de mães e pais... Mas o pior até nem é os partos transitarem para faro, mas sim os ctg's, isso sim acho muito, mas mesmo muito mau pensado !! Já que funciona tudo no mesmo piso e corredor (ou pelo menos funcionava)
Beijinho

Naná disse...

Av, as grávidas de Monchique, as de Aljezur, as de Sagres e Vila do Bispo... é complicado sim...

Naná disse...

Paula, ponto n.º 1 - claro que aceito! (as calças é que só se forem de tamanho 40/42...).
Ponto n.º 2 - eu tive o Falipe em Portimão e tive que fazer uma cesariana de urgência e só tenho a dizer bem da equipa toda que me atendeu, no Bloco de Partos, no Bloco Operatório e depois na enfermaria. Foram todos 5 estrelas. Agora se me falares em Urgências Pediátricas, essas sim são de fugir... sou melhor atendida no Centro de Saúde!
Ponto 3 - vamos dar tempo ao tempo ;)
Ponto 4 - são umas maldiçoadas...

Naná disse...

Susana, eu fui cedo de mais... ou pelo assim o pensei quando lá cheguei... mas o facto é que fui mesmo a horas, já que estava com uma hemorragia e sem qualquer sinal de parto. O facto é que o Falipe nasceu 5h depois de eu ter sido admitida...

Magda E. disse...

Gostei de te ler. Cmg está a ser ao contrário, estou a engordar muito menos desta vez, e apesar de estar pertinho do HDF tb tenho cá os meus receios. é q a 1ª nasceu em espanha onde num público o tratamento foi quase de privado e em Faro já se sabe td o que se conta... ai ai
A minha quer uma mana e ponto. lol
beijinhos

Naná disse...

Magda, eu não estou a engordar muito, aliás, engordei menos agora do que na primeira gravidez... o problema é que quando engravidei da 1.ª vez tinha 60 kg... e desta vez já contava com 75 kg.

Eu não tenho qualquer problema em ter o parto no público, mas preocupa-me a hipótese de ter que ser transferida para Faro, se algo não correr bem... e não percebo isto... segundo sei, há mais partos em Portimão até do que em Faro...