16 de janeiro de 2014

Gata preta, gata preta

Foi em 2004 que adoptei a Joy, a minha gata preta. Trouxe-a para casa tinha ela dois meses, a granel dentro do meu antigo Peugeot 106 (a insconsciência de fazer um percurso de 4 km com um animal bebé à solta dentro do carro ainda hoje me envergonha...)

A Joy foi um animal de estimação "desafiante". 
Meiga quando lhe aprazia, arisca até demais, já que apreciava morder a valer e foram mais que muitas as vezes que nos chocámos por conta da mania dela de se pôr em posição de ataque subitamente, sem que nada contribuísse para que se sentisse em perigo... 
Mau feitio que contrastava com o facto de ela se sentar à porta de casa, à minha espera, cinco minutos antes de eu meter a chave à porta, segundo relatos do meu pai, que ficava abismado perante a infalibilidade de ela prever que eu estava a chegar.

Há dois Verões a Joy finalmente partiu. Deixou o meu coração partido e o do G., contrariamente ao que ele supusera, visto nunca ter apreciado felinos na generalidade e a Joy, em particular. A tristeza foi tamanha, e juntamente com a dificuldade em explicar ao Falipe o seu desaparecimento, que nos levou a jurar um ao outro nunca mais ter um animal.

Mas o G. apesar de não apreciar particularmente a Joy, uns seis meses antes da sua morte, construiu-lhe uma casota toda xpto, com todo o esmero e dedicação, de forma a dar-lhe maior conforto nas noites mais frias.

Quando a casota ficou vazia, considerei a hipótese de a doar a uma associação de protecção animal, mas a inércia foi-me vencendo...

Há coisa de dois meses para cá, a casota passou a ser residência ocasional de uma jovem gata preta (ou será gato?). O facto de este felino conseguir entrar e sair do meu quintal, transpondo as grades da vedação metálica cuja altura ronda os dois metros e meio deixa-me boquiaberta... visto que outros gatos extraviados que frequentam a urbanização nunca o terem conseguido com sucesso, mesmo quando a Joy arrulhava com o cio...

Há quem me diga que os felinos são animais de protecção e eu confesso que tenho uma certa superstição com os gatos pretos, porque acho que afastam as más energias e que além disso, escolhem os donos...

Eu acho que este bichano simplesmente escolheu dormir mais confortável, no recato da casa xpto que o G. fez. Isso não me incomoda nem um bocadinho e até fico satisfeita por ver que afinal a casota tem utilização.

O G. diz que tenho que começar a cobrar "renda"...
O Falipe diz que é uma gata preta igual à "outra gata preta"... e eu sorrio quando a vejo!

5 comentários:

Leana disse...

Tenho uma crença de que nada acontece por acaso...
;)

Magda E. disse...

este post fez-me sorrir! Eu adoro gatos pretos... alias dos meus 2 gatos, a fêmea é preta, chama-se Wicca e já vem de outra gata que eu tinha. Devia ter sido dada cm todos os manos, mas não consegui... juro que ela "pediu" para ficar comigo... já tem uns aninhos, está a ficar velhota... e chata... olha isso era coisa gira para um post!

Magda E. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Magda E. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Naná disse...

Leana, também acredito muito nisso!

Magda eu adoro gatos pretos!