8 de junho de 2013

Que raio de mãe?...

Seria eu se não te pegasse ao colo e te abraçasse com todo o meu carinho, meu pequeno filho doente?!...
A razão dita-me que mantenha a distância de segurança, estando eu em recuperação pós-operatória, para evitar infecções.
Mas eu sou tua mãe, e tu esticas os teus braços febris para mim, pedindo colo e conforto, e o meu coração atropela a razão e toda a lógica de prevenção e auto-preservação!
Prefiro ver-te nos meus braços, mais calmo e arriscar um possível contágio, eu prefiro ser eu a sofrer do que te ver assim combalido e prostrado, com os olhos mortiços e vidrados de febre.

* isto também faz parte de aprender a ser mãe, já dizia a Gralha...

10 comentários:

Magda E. disse...

concordo contigo Naná! Mesmo quando nos expomos nós mesmas a riscos desnecessários, não há como não lhes dar o abraço que nos pedem. As melhoras para ambos! beijinhos

Doríssima disse...

Não poderia estar mais de acordo contigo, Naná! Desejo as rápidas melhoras aos dois.

Mammy disse...

Pela minha experiência, as mães não apanham as doenças dos filhos... Temos defesas para elas que se chamam amor.
Beijinhos e as melhoras dos dois!
<3

Maria Duarte disse...

Concordo com a Mammy, as nossas defesas chamam-se AMOR.
Melhoras aos dois.

Um Beijo

Dadinha disse...

Nana, eu entendo o que sentes, mas tenta proteger-te com mascara e nesta fase tens que ter mais cuidado e procurar um apoio especial para os outros membros da família. As melhoras para o filhote e rápida recuperação para ti.
Beijinhos

carla disse...

As melhoras do teu menino e as tuas também, Naná.

Uma Mãe faz das tripas coração por eles.

gralha disse...

E, passados estes dias, valeu a pena. Não é? Beijinhos!

Tanita disse...

Não esperava outra coisa de tua parte.
Beijo**

Naná disse...

Obrigada pelos comentários carinhosos!

Realmente, deve ser o amor de mãe, já que eu não apanhei a amigdalite ;)

Paula disse...

Pois é... o mesmo me disseram quando a filhota apanhou varicela e eu estava grávida... como é que podemos não atender aos nossos filhotes, como?