23 de abril de 2013

Sinto-te a falta

Há muito que andava apartada de ti.
Há muito que não te abraçava, que não te absorvia, que não observava e te olhava com olhos de quem realmente vê.

Há muito que deixara de te procurar e esta ausência teve os seus efeitos maléficos em mim... a falta de ti fez com que me acobardasse, que me deixasse abater, que me deixasse envolver pelo negativismo, pela tristeza, pelo pessimismo e isolamento, pela falta de horizontes, aqueles que tu sempre me deste e mostraste em toda a sua magnitude.
Senti a falta dos teus aromas, do teu cheiro perfumado, de mil e um perfumes diferentes.
Senti a falta da tua beleza, com todos os seus contornos.

Eu sabia que andava apartada de ti, e que precisava das boas energias que sempre me deste. Essas energias que sempre me ajudaram a manter-me perseverante no optimismo e na esperança enorme de que após um ou mais dias maus, vem sempre uma sucessão de dias bons, cheios de alegrias e conquistas.
Eu sabia que precisava de me ligar a ti para receber algo que não é tangível, mas que para mim é real e palpável.
Eu sabia que precisava de parar para te escutar, com todos os teus sons calmantes e de te olhar, para absorver todas as tuas cores, com imensas variações.

Senti a falta do teu mar, da tua relva, dos teus pássaros, dos teus frutos e árvores, das tuas ondas e da tua areia. Senti a falta da saúde mental e física que me trazes, da paz interior que me ofereces, da calma e do sossego que me transmites.
Por isso, não sei viver longe desta comunhão contigo... Mãe Natureza!








8 comentários:

Paula disse...

E já mataste as saudades todas? A primavera é tão boa para estes reencontros... :)

Bjs x

Jardim de Algodão Doce disse...

Que fotos bonitas. A Primavera é especial...eu acho!

Susana disse...

O contacto com a natureza faz-nos mesmo muita falta para o nosso equilibrio mental. É um estado de graça quando nos deixamos abraçar pela Natureza. Das coisas que mais paz me dá é o vento a passar pelas árvores, o 'chocalhar' nas folhas, aquele som que encontramos no meio de árvores de folha caduca... Hoje está um dia particularmente ventoso e na rua sabe-me melhor o vento que dentro de casa, pois torna-se irritante, a uivar por entre o telhado e a chaminé...
Beijinhos

Arco Iris disse...

Lindas fotos.
O reencontro com a Natureza transmite-nos muita Paz e força para seguir em frente.

luisa disse...

Também não passo sem ela. Lindas fotos. :)

Lacorrilha disse...

Que fotografias de sonho, a minha cara.

Caminhante disse...

Eu sinto o mesmo... Beijinhos

Naná disse...

Paula, nem por isso... por isso, decidi repetir a dose ;)

Jardim de Algodão Doce, é mesmo! E eu não me tinha apercebido da falta enorme que sentia!

Susana, é mesmo isso, equilíbrio mental! E sim, vento a uivar nas janelas é altamente irritante...

Arco Íris, obrigada. Precisava mesmo deste reencontro!

Luísa, obrigada! Partilhamos esta terra tão linda que nos devolve esta beleza enorme.

Lacorrilha, obrigada! As tuas superam-me e muito!

Caminhante, então vai lá matar saudades ;)