18 de abril de 2013

Santa Bárbara dos Trovões

Cada vez me vou tornando menos tolerante a características particulares de algumas pessoas das minhas relações pessoais...

Uma das minhas intolerâncias de estimação que tem sofrido um aumento exponencial nos últimos tempos é em relação às pessoas que só se lembram de mim quando precisam de alguma coisa, quando lhes dá jeito que eu dê uma ajudinha.

Só me procuram quando há qualquer interesse pessoal de ganho para elas, claro.
Não me importo nada de as ajudar, se isso estiver ao meu alcance. Até o faço com muito gosto!

Mas que apenas me procurem para isso?!... E que nem sequer tenham a capacidade de perguntar como estou, se estou bem, se estou mal, se há novidades ou não e vão directo ao favorzinho de que necessitam... tenham lá paciência, até ajudo, mas é de má vontade, para ser sincera! No limite do abuso?! Aí já nem ajudo!

Mais pareço a Santa Bárbara, a malta só se lembra dela quando faz trovões...

6 comentários:

Susana disse...

Há muita gente assim e para o bem e para o mal não sofro desse mal, de ter gente interessada em favores, pelos vistos tenho pouco a oferecer e o que é realmente importante não interessa a ninguém...temos pena. MAs quando trabalhava a coisa já era bem diferente... Eu uso algumas vezes essa expressão de que «só se lembram de Santa Bárbara quando faz trovoada». Às vezes quanto mais ajudamos pessoas assim mais elas 'nos dançam' em cima...Beijinhos

Uba disse...

Pois, tb não lido muito bem com essas coisas. Isso e sentir-me a última opção ou última escolha. Irrita-me!

Teya disse...

Oh pronto, já não te peço nada. Amuei!
:P

kuka disse...

Pior seria se fosse o inverso! A menina a ter de pedir! "Faz o bem e não olhes a quem".
Espero que continues a poder ajudar os amigos.

Naná disse...

Susana, tens muito a oferecer. Pena é que poucos o reconheçam :)

Uba, sim, isso também não ajuda nada à auto-estima.

Teya, minha querida, de mim podes pedir tudo o que quiseres ;) Só te peço é que venhas visitar as bruxas quando estiveres por cá, sim!? temos resmas de saudades tuas!

Kuka, não teria problemas em pedir, se precisasse. No entanto, às pessoas a quem peço (e sim, de vez em quando peço porque preciso!) costumo manter contacto regular, preocupo-me com elas, procuro-as muitas vezes para saber como estão. O caso que aqui relato, é de uma situação em que as pessoas não se preocupam
e minimamente comigo e só me procuram quando têm interesse e depois de devidamente ajudadas, desaparecem até que lhes surja a próxima necessidade. E sim, vou continuar a ajudar os meus amigos, porque o faço com gosto e prazer :)

Titanices disse...

Eu estou contigo!!! Cada vez mais me irrita o facto de as pessoas me procurarem por precisarem de algum favor/cedência/whatever da minha pessoa. E o factor idade aumenta exponencialmente esta minha intolerância a esta gente... ainda há pouco fiz um comentário no meu mural do Facebook de que andava a fazer uma limpeza geral nos amigos oportunistas, curiosamente a população em geral pensou que o estava a fazer na minha lista de amigos no FB, que até é extensa... mas não era, ERA CÁ FORA, daqueles pessoais que afinal têm menos de amigos e muito, muito mais de oportunistas!! São os 40 que fiz em Agosto do ano passado, abriram-me os olhos e ando muito mais feliz (sim, e a minha profissão da qual eu tanto gosto, predispões-se a que abusem de mim - ou predispunha-se...)