31 de outubro de 2012

Para quê esperar?



Tal como há dias em que acordo com uma neura tremenda, hoje acordei com uma boa disposição de tal ordem que até pode chatear... nem o facto de ter vestido a camisola ao contrário e a máquina de café se ter "esquecido" de despejar o açúcar no copo me demoveram da minha alegria! Também há que dizer que ouvir o meu filho logo pela manhã dizer "gosto de ti, mamã!" ajuda imenso a este estado de bem-estar. Porque convenhamos, não há nada melhor para a nossa auto-estima do que isto...

Há já algum tempo que estava a começar a ficar fartinha de mim mesma por estar sempre a gastar as minhas energias a remoer no que não gostava na minha vida... mas eu não sou assim! Sempre fui optimista por natureza e quando entro numa de "deprê", parece que entro numa espiral que me leva a um buraco negro e sem fundo!
Cansei-me disso!

Ontem reencontrei uma antiga professora minha do ensino secundário, que não via há mais de 4 anos, e nos 15 minutos que estivemos à conversa, ela perguntou-me como tem sido a minha vida. E eu fui  debitando os tópicos habituais: família, emprego, casa, etc.
Quando me despedi dela, no caminho de regresso ao local de trabalho, de repente senti que a realidade me tinha acabado de dar uma chapada valente: tenho tudo aquilo que sempre quis, desejei e pelo qual lutei. Portanto, porque raio é que há sempre a tendência estúpida e desgastante de só pensar nas coisas que não prestam ou que gostamos menos na nossa vida!?
Haja paciência para me aturar a mim mesma nessas alturas...
Por isso, decidi mudar o disco!

8 comentários:

Carla disse...

Nem mais!!!!

I like it :-))))))))))))))))))))
x

gralha disse...

Estou a precisar de dar umas chapadas dessas a mim própria.

Mas a verdade é que os males do mundo me arrastam cada vez mais para o buraco negro sem fundo. Não consigo tapar os olhos e os ouvidos e continuar como se nada fosse...

Tanita disse...

E quando não aguentas aturar-te aqui estou eu para ajudar e vice-versa!
Estamos em sintonia, mais uma vez e por isso entendo-te plenamente.
Vamos mudar o nosso mantra? é isso não é, minha querida?
Beijos**

Lemon disse...

Mudar o disco é sempre bom :)
Dá outra música ;)

sal disse...

Às vezes pode parecer uma grande luta interior e se calhar até é mas também acho que vale a pena dar a volta ao texto quando é preciso :)

Arco Iris disse...

É isso, quando vem os dias negativos e pensamos que tudo corre mal...
Nada melhor que pensarmos que afinal "infelizmente" à quem esteja bem pior.
Eu muitas vezes tenho que mudar o disco, para uma música mais alegre.
Bjs :)))

Uba disse...

É mudar o disco mas não tocar o mesmo! :)
Mas tens razão, são poucas as vezes em que damos valor ao que temos.
Bom fim-de-semana!

Naná disse...

Carle , é mesmo!

Gralha, eu deixei-me arrastar de tal forma pelos males do mundo que deixei de me reconhecer a mim mesma... agora arrasto-me até um certo ponto, porque também não sou capaz de ficar indiferente. Nem podemos ficar indiferentes! Foi assim que chegámos aqui, creio eu...

Tanita, juntas vamos chegar onde queremos!

Lemon, e eu gosto sempre de músicas novas!

Sal, tem que ser, para bem da minha sanidade mental.

Arco Iris, é mesmo, há quem esteja bem pior, mas no meu caso é mais: pára de te lamentar, porque tu estás onde queres estar!

Uba, somos umas eternas insatisfeitas :)