18 de setembro de 2012

Meu querido mês de Setembro

É o mês que elegi há largos anos para fazer as minhas férias. Primeiro por dificuldade do G. em conseguir marcar férias noutro dos meses de verão. A cada ano que passava fomos descobrindo que este é sem dúvida o melhor mês para descansar e poder finalmente apreciar a nossa região, sem as enormes enchentes de turistas que por cá aparecem em Julho e Agosto.
E este ano não foi excepção!

O tempo esteve absolutamente fantástico e eu pude finalmente fazer uma série de coisas que só com a liberdade de umas férias se consegue fazer.

Houve tempo para arrumações, destralhares e pintura de paredes em tons de lilás suave.

Houve tempo e vontade de caminhar quase todas as manhãs ao som de uma banda sonora condizente, com uma excelente paisagem em pano de fundo.

Houve tempo para matar saudades de andar de mota e da sensação de liberdade extrema que isso traz! Ah que saudades de sentir o vento na cara e os cabelos esvoaçantes e um olhar bem mais nítido da paisagem que desfila perante nós! Apesar do pequeno percalço de ser picada por uma abelha na palma da mão a cerca de 20 km de casa, já no regresso...

Houve tempo para me sentar sem pressas numa esplanada e ler até me fartar ou já ser hora de almoço!

Houve tempo para costuras e para fazer o gosto à agulha do crochet.

Mas principalmente houve tempo para estar na casa que os meus avós me deixaram, onde vivi de um modo pacato, minimalista até dizer basta. Até voltei a cozinhar num fogão a gás e não senti falta do micro-ondas.
Houve tempo para ir ao mercado municipal de Aljezur e encontrar um dos meus peixes preferidos, que não encontro em mais nenhum mercado, comer umas sardinhas assadas na brasa no barbecue artesanal feito da corriqueira jante de carro!
Houve tempo para cozinhar de forma simples e saudável.
Mas principalmente houve tempo para estarmos os três juntos, em família e fazer praia como há uns anos não fazíamos. Pelo menos não de uma forma assim tão consistente!

O Falipe correu, saltou, pulou, brincou, deu mergulhos, quase sempre atabalhoados e andou à “raboleta” nas ondas. Fizemos castelos e piscinas na areia.
A água estava fantasticamente agradável, ao contrário de outras épocas balneares em que primava pelo frio-gelado-de-quase-partir-ossos!
Falipe mostrou ter pilhas inesgotáveis, acordando invariavelmente às 8h, sem dormir a sesta em dia nenhum e às 22h30 parecia fresco que nem uma alface e pronto para a noitada...
Entrou claramente na fase dos porquês e assim agora, cada frase dele termina com o inevitável “p' quê?” mesmo muito depois de eu e o pai termos esgotado todas as explicações.

Pude fazer a minha ligação-à-terra, com apenas as gaivotas e um casal na praia por companhia. Pude assim finalmente recentrar-me, alinhar ideias e organizar projectos na minha cabeça e desmistificar receios infundados. Ah, que saudades de encontrar um pouco de equilíbrio nesta Arrifana, que pode não ter sido considerada uma das 7 Maravilhas, mas será sempre a minha maravilha de eleição! Constatei que me ausentei daqui por demasiado tempo...

Pude desligar-me da internet e das redes sociais por uns dias e permanecer um tanto ou quanto imune ao turbilhão depressivo provocado pelas medidas estapafúrdias de um governo que quer à força empobrecer um país inteiro. Não havia tempo a perder com debates políticos fúteis e retivemos apenas o importante: que temos que lutar, porque assim desta maneira não vamos lá!

No fim de tudo, foram umas staycation do melhor que tive há uns anos a esta parte!













8 comentários:

Especialmente Gaspas disse...

Todos os anos tiro uns dias em Setembro. E nos ultimos dois anos foi sem duvida a melhora a altura para aproveitar a praia! Quase ninguém, agua com boa temperatura, pouco vento!! Muito melhor que em junho e julho onde tb tirei uns dias!

mypencil2b disse...

Que lindas fotos! -bons momentos sem dúvida :)

Melissinha disse...

fiquei com uma leve invejinha.

Lacorrilha disse...

Que lindas fotografias. Adorei especialmente as duas primeiras, por causa das nuvens. Estavam mesmo a pedir uma fotografia.

carla disse...

É mesmo bom ser livre :)

Linda fotografias. Maravilhosas, aliás.

Naná disse...

Gaspas, também tive uns dias em Julho, mas foi mesmo para tratar de "burrocracias"...

Mypencil2B, obrigada :)

Melissinha, aposto que tu também aproveitaste bem!

Lacorrilha, estavam sim a pedi-las. Só tive pena que tirei as fotos com a Pentax e não com a Nikon do G.

Carla, obrigada! E a sensação das férias ainda continua a proporcionar-me uma sensação maravilhosa!

pontinhos ao vento disse...

A "crise" serve pelo menos para percebermos que não temos de atravessar o atlântico para ter-mos umas férias de sonho. O sonho é podermos partlhá-las com quem amamos, mesmo que não tenhamos comprados as 10 camisolas e os 5 pares de sapatos da nova colecção.

As minhas foram parecidas...

Beijo
Maria

sal disse...

O céu de Aljezur é mágico. Saudades tenho do pequeno-almoço no quiosque do Rogil, de Vale dos Homens, dos rápidos do rio na Amoreira, dos ondões da Arrifana. Não consigo por lá passar todos os anos mas quando vou acho sempre que são as melhores férias da minha vida. :)