7 de agosto de 2012

Presença constante

Primeiro apareceu um.
Apareceu do nada e um dia sem mais nem menos estava ali diante de mim.
Eu fiquei parada, estática a observá-lo. Em silêncio. 
Naquele momento, não sabia muito bem como reagir perante ele. Se devia amaldiçoá-lo, ficar-lhe indiferente ou simplesmente eliminá-lo do meu campo de visão.
Ele estava ali e eu limitei-me a observá-lo, em silêncio.

Outro dia, apercebo-me que já não é apenas ele, aquele, mas outros dois. 
Estes apresentavam-se com um estilo mais arrojado e até empertigaitado. Em posição de desafio, como quem grita: "e agora, o que vais fazer?"
Novamente os observei, desta vez a todos juntos. Mais uma vez, pensei no que deveria fazer sobre eles. Mas optei por ignorá-los.

Semanas se passaram e apercebo-me que não são apenas um ou três, mas um punhado deles. Mas estes eram mais discretos, quase que se escondiam por detrás dos demais, tímidos, tentando disfarçar-se.

E foi nesse momento que tomei uma decisão insólita e contrária a tudo o que tinha pensado fazer quando a situação se apresentasse... 

Aceitei a sua presença naturalmente. Se já que ali estavam, mais valia não me incomodar com a sua presença constante e conviver pacificamente com eles.

Os dias foram passando, até ao momento em que me apercebi que tinha decidido da melhor forma, porque já me habituara à sua presença e até tinha mesmo começado a gostar de os encontrar. 

Aceitei-os como fazendo parte da minha vida.
Aceitei a sua chegada com maior naturalidade do que alguma vez pensara e decidi que não os vou esconder, a eles, aos meus cabelos brancos.

Que todos os dias trazem mais um companheiro. 
A este ritmo, antes dos 40 anos terei aquele ar sexy de mulher madura e grisalha!

15 comentários:

Magda E. disse...

que giro, qd comecei a ler o teu post imaginei logo que falavas dos cabelos brancos... hehhe... fazes bem, fazem parte da tua experiência!!! Eu ainda não tenho, mas smp disse q tb não os esconderia, e quem acha horrores não pintar o cabelo, olha: temos pena... beijinhos*

Maggie disse...

vou ser mto sincera, arranco todos os que vejo, qualquer dia não tenho cabelo!

Bjos
Maggie

Jardim de Algodão Doce disse...

Achei piada a forma como abordaste os cabelos brancos...o que dizer? Fazem parte da viagem, mais cedo ou mais tarde surgem sempre. :)

Ni! disse...

Fazem parte, mas eu ainda não consegui gostar deles. Não os tenho pintado e cada vez aparecem mais, mas ainda estou "parada a olhar para eles" sem ter ainda decidido se lhes faço alguma coisa :)

Gostei desta abordagem!

ouvirdizer disse...

E eu que gosto tanto dos meus... juro!
Nunca os pintaria, por nada! Faz-me impressão que se pinte o cabelo... No dia da mãe no desenho do meu filho do meio ele pintou-me o cabelo tipo arco-íris, acho que por causa do mesclado que já se nota. O mais velho perguntou-me se quando o meu cabelo estiver todo branco já tem idade para tirar a carta... está ansioso (tem 6 anos, ahahahahah).
Pior, o meu gajo ficou a pensar que sou mesmo croma, enviei um e-mail á editora da Noticias Magazine, Catarina qualquer coisa a dizer que adoro o cabelo dela, e ela respondeu-me!
Eu não tenho culpa, abro a revista e deparo-me com o meu cabelo de sonho (o que descreves, sexy de mulher madura e grisalha).

Naná disse...

Magda, eu nunca pensei que me ia habituar tão naturalmente a eles, e sinceramente agora não me passa pela cabeça escondê-los!

Maggie, ainda pensei fazer isso com o primeiro, mas depois achei-lhe uma certa piada. E se fosse arrancá-los, ficaria mesmo mas mesmo careca!

Jardim de Algodão Doce, eu sempre temi a ideia dos cabelos brancos, mas curiosamente entendi isso mesmo: fazem parte!

Ni, olha que tu até vais ficar um cota super sexy grisalha :)

Vera, o que eu já me ri com o teu comentário (aliás, confesso que gosto de ler os teus comentários noutros blogs). Mas é mesmo isso, sinto que não os quero pintar por nada! No entanto, não sei se vou achar graça quando o meu filho fizer um desenho alusivo à coisa... juro que não sei!

AvoGI disse...

eu adoro os meus brancos e nao arranco nem pinto
kis .=)

Mammy disse...

Fogoooo!!! Que susto! A princípio, pensei que te tinham aparecido gânglios num sítio qualquer!
Ufa!!! Afinal, são só cabelos brancos!
Bjs

Naná disse...

Avogi, eu sempre achei que os iria pintar, mas não consigo fazer isso...

Mammy, se fossem gânglios, ao primeiro teria ido imediatamente ao médico, não os ignoraria de forma nenhuma! São mesmo só cabelos brancos :)

Miss Lizzie disse...

Gostei do texto, bela abordagem. Eu tenho cabelos brancos desde os dezoito anos, e na altura, com a vergonha própria de uma miúda da minha idade comecei a pintar. Hoje em dia quase me apetece pô-los a descoberto. Um dia destes penso nisso :).

Naná disse...

Miss Lizzie, o primeiro apareceu estava eu grávida, antes dos 30. Nessa altura não era boa ideia pintar o cabelo... talvez por isso me tenha habituado melhor!

Uba disse...

Eu não consigo achar piada e toca de pintá-los. :)

Tanita disse...

Podia ter sido eu a escrever este texto, estou cheia e não gosto de me ver com eles, mas ainda não ganhei coragem para pintar o cabelo, pois adoro o meu tom natural...dizem que é experiencia, a ver vamos :)

luisa disse...

Dependendo da sua distribuição... eu cá acabei por pintar os meus. Provavelmente quando a sua presença ficar mais uniforme, irei assumi-los totalmente. Na verdade tenho pouca paciência para as $idas$ ao cabeleireiro :)

triss disse...

Os primeiros que me apareceram, fiquei em choque, depois habituei-me, mas pinto-os pq acho que não tenho idade para ter cabelos brancos!!!!