22 de agosto de 2012

Moedinhas para o supermercado

Ontem veio a público a notícia de que uma grande cadeia de supermercados vai deixar de aceitar pagamentos com cartão de débito em todas as compras inferiores a 20€, com o intuito de poupar mais uns milhões.
Nunca fui grande cliente deste hipermercado, nem nunca fiz lá compras de avultados valores, no entanto, recentemente comecei a apreciar a qualidade das suas frutas e legumes, o que me levava ocasionalmente a passar por lá, e invariavelmente a conta final cifrava-se quase sempre na casa dos 17 aos 20€...

Perante a notícia de ontem, perpassou-me pela ideia o seguinte:
- quem quiser fazer compras neste supermercado e pagar com cartão terá que equacionar bem o que vai comprar, porque senão terá que ir precavido com dinheiro - isto nos casos de clientes como eu que estão habituados patologicamente a pagar quase tudo com cartão de débito e que andam sempre com pouco dinheiro vivo no bolso;
- esta é uma desculpa um tanto esfarrapada de uma empresa que já de si factura milhões e milhões de euros por dia...
- palpita-me que há aqui estratagema para impulsionar o consumo nas famílias. Ora se a pessoa tiver uma conta final de digamos, 18,75€, mas não trouxe dinheiro e prefere pagar com cartão, sentir-se-à tentado a levar mais uma qualquer bugiganga para perfazer o valor dos 20€ mínimos que lhe permitem pagar com o dito dinheiro de plástico;
- esta medida ajuda a trazer mais insegurança aos clientes, porque a moda parece estar a alastrar a tudo quanto é estabelecimento de consumo de bens, logo a malta andará com mais dinheiro no bolso e mais susceptível de ser assaltada para gamar o dinheiro. É que sacar dinheiro de um cartão de plástico sem ter o código pin é bem mais complicado e mais trabalhoso de conseguir...

Logo depois, veio-me à ideia algumas medidas a que poderemos recorrer.
Vamos a um "suponhamos":
- conta final de 18,98€ -  "olhe, andei a ver no mealheiro lá de casa e só tenho moedinhas de 1 e 2 cêntimos!" - e fica-se ali meia hora a contar as ditas moedas, que também são dinheiro, enquanto a fila cresce desmesuradamente!
- conta final de 17,80€ - "oh, desculpe, não trago dinheiro vivo... olhe fica aí tudo, eu volto cá amanhã de novo com dinheiro". Por um lado, o cliente que até precisava não gasta lá € e fica a passadeira entupida. Alguém terá que ter o trabalho de repor todos os produtos de novo nas prateleiras correspondentes - pode até ser que provoque a necessidade de contratar pessoal para fazer reposição...

Escusado será dizer que quem vai sofrer na pele todas as reclamações e formas de protesto serão os funcionários, que não têm qualquer culpa das decisões parvas dos seus patrões...

13 comentários:

Especialmente Gaspas disse...

O que o comercia paga aos bancos pelo uso das máquinas é um absurdo.
Que é pratico usar o cartão é... há anos que não ando com dinheiro, é raro.
Mas uma coisa é certa... acho que muita gente vai acabar por comprar mais uma coisinha, mesmo que não precise para fazer os 20 euros e pagar com cartão.

Naná disse...

Gaspas, para o pequeno comércio é um absurdo e até compreendo que tomem essas medidas. Aliás, há locais onde costumo ir que ou deixaram de ter pagamento por multibanco ou estipularam valores mínimos, mas não de 20€, alguns estipularam 5€ e outros 10€.
Agora no caso específico em questão, acho uma medida um tanto pedante. Por um lado, muitos vão consumir mais para poder pagar com cartão. No meu caso, que estava a começar a fidelizar-me, talvez tenham perdido um cliente...

Tanita disse...

Ora 18.98euro, hummm deixe ver, ponha aí essas pastilhas e mais umas batatinhas que estão mesmo aqui a jeito e já passa dos 20 euros certo?

luisa disse...

Não há muito tempo via, em reportagens sobre a crise e sobre técnicas para gastar menos, os especialistas recomendarem que se optasse por pagar em dinheiro vivo e não com cartão. Diziam que assim se sentia mais o custo dos bens e se evitaria consumos desnecessários. Vendo desta forma... será que o Pingo Doce nos quer ajudar a poupar? :)

Naná disse...

Tanita, absolutamente de acordo!

Luísa, tive um colega de trabalho com quem esse esquema resultava. Comigo, se não fosse eu ter começado a apontar tudo, era desastroso andar com dinheiro, porque depois por vezes tinha dificuldade em saber ao certo onde o tinha gasto... é que naqueles 1.50€ do pequeno-almoço na pastelaria e mais os 50 cêntimos do café depois de almoço e por aí fora, vai-se a ver e vão uns bons euros. Eu prefiro o cartão porque fica tudo registadinho e assim não há qualquer dúvida onde o gastei!

Mammy disse...

É para incentivar as pessoas a comprarem mais umas coisinhas e para terem mais dinheiro para fazerem promoções no 1º de Maio. E o mais engraçado é que vão pagar impostos para a Holanda!
Raios os partam!
Bjs

Isa disse...

Gostaria de acrescentar mais uma medida: sempre que se fizer compras abaixo dos 20€, vamos pedir factura porque segundo me disseram é bastante mais fácil fugir aos impostos quando os pagamentos são feitos com dinheiro!

Chef disse...

Nestas superficies não existem máquinas atm? Basta ir levantar os 20 euritos antes de começar as compras! Ou este pessoal anda tão preguiçoso que até isso lhes custa fazer?

Naná disse...

Isa, boa! Nem me tinha lembrado dessa!

Chef, concordo. O pior será quando a máquina ATM não estiver carregada de dinheiro, como no verão é bem recorrente... voltamos para trás??? Ou temos que começar a guardar dinheiro debaixo do colchão?

Uba disse...

Como uma amiga minha escreveu no face, "Como faço se apenas tiver 9 € na conta??!! A MB só permite levantar mínimo de 10 €!"

É uma tristeza. Não há respeito pelo cliente. Queres, é isto que damos. Não queres, vai embora porque temos muitos atrás na fila.

Tristeza de país!
Os ricos lucram sempre!

Tanita disse...

Acreditas que hoje não consigo ligar o Gmail? bolas.

Ana disse...

Estou completamente de acordo, para mim, e já o escrevi num comentário qualquer, é mesmo uma estratégia para obrigar o cliente a gastar no mínimo 20€ e, se estiver com pressa ou com vergonha de atrasar a fila, pega no que está à mão, tal como disse a Tanita, doces, revistas e outras coisas dispensáveis.

Estive a ver talões e, no ano passado, os cadernos escolares capa preta da Ambar, custavam 0,46€, este ano, os mesmos cadernos, têm 50% de redução numa compra superior a 25€ e custam 0,69€. Tal como eles diziam e muito bem na publicidade há uns tempos atrás (a propósito das promoções da concorrência) baixa-se do lado e aumenta-se do outro.

mfc disse...

Tudo que seja retirar dinheiro aos bancos... eu concordo!

Vá lá... 20 euritos também não custa nada levar e eles têm multibanco lá dentro.

Beijinhos,