1 de março de 2012

Tudo o resto é paisagem...

Acabo de desligar uma chamada ao telemóvel... estive a falar com um ex-colega de trabalho que se tornou um grande amigo.
Tinha-me enviado um e-mail no início da semana a pedir-me informações sobre heranças em caso de falecimento de um cônjuge... achei estranho porque o JR não é casado. 
Como achei complicado escrever-lhe a explicação, preferi dizer-lhe pessoalmente... mas era para ter ligado logo e não liguei. Só hoje, três dias passados, decidi não adiar mais.

Quando lhe perguntei se tinha morrido alguém na família, responde-me que sim... primeiro a sobrinha bebé, filha do irmão, nada-morta e um mês depois a esposa do irmão de apenas 36 anos, pelas complicações derivadas da gravidez e de um anterior transplante de rim...
Enquanto o JR me foi descrevendo os factos, fui progressivamente sentindo o arrepio na pele do quão fugaz é a nossa existência! 
Logo eu, que já trato a morte quase por "tu"... que tenho plena consciência de que agora estás aqui e no minuto seguinte, podes ter desaparecido! Ou que aqueles que mais amas se foram e nunca mais podes falar com eles, beijá-los, abraçá-los, rir com eles, chorar com eles...

Passamos a vida embrenhados num rol de estupidez, de preocupações, ambições e sonhos, sem levarmos em linha de conta que um dia tudo acaba! 
E que pode ser hoje como daqui a 40 anos...

Enquanto o JR ia falando comigo, as lágrimas foram rolando pelo meu rosto abaixo, como se a dor do irmão dele fosse minha. Mas eu não conheço o irmão dele e nem a cunhada que faleceu... mas conheço a dor e o sofrimento que se tornam nossos eternos amigos quando a morte nos rouba aqueles que habitam o nosso coração!

8 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Não deve estar a ser fácil passar por algo assim. ele terá de ser muito forte para aguentar tudo isto!

E a mãe? A mãe.... foi ter com o seu bebé........

Mammy disse...

Tão verdade, tão dura essa verdade!
Beijinhos

carla disse...

De um segundo para o outro, a vida muda 180º. De um momento para o outro, perdemos quem amamos. Infelismente sei bem demais o que isso é.

A vida tem que ser aproveitada segundo a segundo, pois nunca sabemos o que o próximo trará.

Beijinho

Sónia disse...

A dor fica e essa é tão difícil de arrancar do nosso coração! Só os bons momentos passados com essa pessoa cuja vida passou ao lado é que fazem com que a amargura não se instale... É preciso muita coragem.

Sofia disse...

Realmente, não somos nada... :(

Tanita disse...

Para quê dar importância a coisas sem significado perante a imensidão que é a vida? Bj**

mfc disse...

Toma um grande beijinho... és uma mulher muito linda!!

Ana B. disse...

Vim aqui parar por acaso... e fiquei sem palavras :)