28 de janeiro de 2012

Nunca é tarde para aprender!

Quando a minha mãe tricotava eu ficava fascinada, a ver a lã ser lenta e sabiamente transformada em malha para camisolas, cachecóis e botas de dormir.
Sempre quis aprender a fazer tricot e foram mais que muitas as vezes que literalmente azucrinava o juízo à minha mãe para em ensinar.
A minha mãe, na sua infinita paciência (a virtude melhor e maior que ela tinha!) fez inúmeras tentativas de me explicar uma coisa que à partida, até é bastante simples!
Mas de todas as vezes que tentou, não teve qualquer êxito... lamentavelmente, eu nunca fui muito dotada de paciência e não entendia a técnica por detrás da passagem da malha duma agulha para a outra. 
Por sistema, acabava por deixar cair a malha e ficava tudo esfrangalhado... 
Eu que sempre fui rápida a compreender e a aprender num ápice tudo o que me explicassem, rapidamente me sentia frustrada por não ser capaz de fazer aquilo, que aos meus olhos era facílimo. Eu simplesmente não conseguia captar o truque por detrás do tricot. E como impaciente que era, enfurecia-me em menos de  cinco minutos...
Por mais que a minha mãe tentasse acalmar-se e apaziguar a minha fúria e minimizar a minha frustração, as tentativas terminaram sempre comigo a atirar aquilo tudo ao chão e a jurar que nunca mais queria saber de aprender tricot.
A derradeira tentativa da minha mãe, deu-se aos meus 8 anos de idade. Ela foi categórica antes mesmo de começar a ensinar-me: "se desta vez atirares com tudo ao chão porque não consegues aprender, juro que nunca mais tento ensinar-te!".
Como eu já conhecia as ameaças da minha mãe e sabia que nunca eram vãs, decidi que ia ter calma e tentar aprender desta vez, sem me enfurecer!
Mas mais uma vez... sem sucesso. Aguentei ainda 15 minutos de ensinamento e por diversas vezes tentei, tentei, tentei passar a malha duma agulha para a outra... e mais uma vez, senti-me uma incapaz e estrapus com tudo!
Escusado será dizer que a D. Vera, a paciente, cumpriu a sua ameaça e nunca mais tentou ensinar-me apesar de algumas investidas minhas nesse sentido...
Depois nunca mais pensei nisso...
Mas recentemente vi uns tutoriais sobre a coisa, e mais uma vez, pareceu-me tão simples e fácil. Comprei agulhas e com lã que já tinha, pus mãos à obra de aprender vendo vídeos a ensinar! 
Mais uma vez, sem sucesso!
Foi preciso a D. Amália para eu finalmente aprender uma coisa que é mesmo fácil e simples! E percebi onde estava a errar, descobri porque não conseguia fazer aquilo em pequena. É que aquilo requer alguma calma e perícia. Ora eu, aos 8 anos não tinha nem uma nem treinei a outra...
Por isso, 24 anos depois da última tentativa de aprender com a minha mãe, aprendi a tricotar!!
Por isso, mãe Vera, se me estás a ver... vitória!!!!!!


6 comentários:

CoriscaRuim disse...

Aprendi aos nove porque também Mamãe fazia coisas de espantar. A minha não foi paciente: deu três berros e meti-me a tricotar em dez minutos.

Ainda tenho camisolas feitas por mim :)

Mammy disse...

Nem que seja 24 anos depois, o importante é não desistir!
Beijinhos

Naná disse...

Corisca, ahahahahah! Então se calhar foi isso... faltou-me uns berros para aprender na altura!

Mammy, por nunca ter desistido dessa ideia é que aprendi!

mfc disse...

E estás a ir no caminho certo... está lindíssima esta amostra!!

Beijinhos.

Borboleta Serrana disse...

Já aprendi e desaprendi, fiz e refiz, mas o mal é sempre o mesmo, o desespero perante uma malha caída que NUNCA consigo apanhar!
Por agora só pequenos projectos e muuuito pequenos!

Tanita disse...

O que interessa é aprender, e tenho a certeza que a tua mãe está muito orgulhosa. Depois quero ver os resutados. Bj**