4 de novembro de 2011

Tempestade


tirada da net
Ontem à saída do trabalho parecia que o céu ia desabar e abater-se sobre mim...
Estive dez minutos metida dentro do carro, à espera que passasse aquele trovoada, saraivada de granizo e chuva torrencial que mal deixava ver o caminho. 
Como eu sou rapariga que gosta de respeitar a Mãe Natureza e o Clima, optei por ficar sossegada a ver a chuva a escorrer pelos vidros, a ouvir o som das gotas a latejarem na chapa metálica do carro, e enquanto via os relâmpagos iluminarem totalmente o céu escuro como breu!
Eu não gosto de trovoada, desde os meus cinco anos de idade, quando apanhei um susto tremendo, sentada na terra arenosa da charneca, propriedade do meu avô. 
O avô Manuel tinha ido apanhar batatas brancas e eu quis logo ir com ele... o céu estava tristonho, mas não fazia adivinhar o que me esperava...
Enquanto fazia pulseiras com juncos e flores de dentes-de-coelho, apercebo-me de um relâmpago rasgar o céu acinzentado e o ribombar do trovão em simultâneo, que eu não esperava (aliás, desconhecia que o céu podia produzir aquele barulho...) e que me fez saltar no lugar, sair disparada a chamar pelo meu avô a pedir que me acudisse e; passar o resto da tarde agarrada a uma das pernas dele, acompanhando os movimentos de cavar que ele ia fazendo, tentando apanhar o maior número de batatas antes que a chuva se apresentasse!
Nunca mais "prosei" com trovoada e sempre que ela aparece, sinto uma tormenta no meu espírito, como se adivinhasse o fim do mundo...

7 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Eu adoro trovoada!! Gosto de ver com o coração disparado quando estou a contar e sinto-os cada vez mais próximos! Espero que o meu filho não sinta pavor deles, vou tentar ensina-lo que enquanto os estamos a ver e a ouvir é bom sinal... hehehe

Magda E. disse...

Já eu gosto tanto desse tempo. Incrivelmente, nunca me assustou, nem mm em criança!

Magda E. disse...

Já eu gosto tanto desse tempo. Incrivelmente, nunca me assustou, nem mm em criança!

AVOGI disse...

não gosto nada de qualquer coisa que venha do céu. só dinheiro
kis :=)

Turista disse...

Querida Naná, não gosto de tempestades. Fazem-me mal e alteram-me os meus batimentos cardíacos.
Era incapaz, de ficar dentro do carro, com tu ficaste. :P

Tanita disse...

Naná,
gosta tanto de te ouvir contar as histórias com o teu avô Manuel, tem um toque carinhoso apesar deste episódio ter sido assustador para ti.
Bj** e bom fim-de-semana

mfc disse...

Um "mau tempo" que te trouxe nostalgicamente imagens de um passado em que o teu avô "te salvou"...!