17 de agosto de 2011

Compota de ameixa: a saga!

tirada da net

A mãe do G. trouxe-me na semana passada mais de 2 kgs de ameixas, fruto que eu particularmente não aprecio comer. Sei que é uma fruta típica do Verão, mas eu nunca fui grande adepta de a comer. Há algo na casca ou junto ao caroço que me provoca arrepios nos dentes e gengivas, não sei explicar...
O G. também não aprecia, já que ele então, é pouco "comedor" de fruta. 
E assim de repente, fiquei com uma "plengana" de ameixas no frigorífico, à qual eu não sabia que fim dar... 
Até que tive a brilhante ideia de as transformar em compota, ou doce, como se chama cá nas minhas bandas. Ora eu, Naná, quando encasqueto uma coisa na cabeça, não descanso enquanto não a ponho em prática e no domingo decidi que nem era tarde, nem era cedo! Era naquela tarde que eu me iria dedicar, qual dona de casa perfeita, a por mãos à obra! Até imaginei os frasquinhos todos alinhados, com o tecido aos quadradinhos vermelhos ou verdes e apertados com fio de ráfia, como costumo fazer quando eu e a Tóni fazemos massa de pimentão, por altura do Natal.
Fui descobrir a receita, porque tinha dúvidas quanto à quantidade de açúcar por cada quilo de ameixa. E descobri que quase todas a receitas falavam em sumo de limão, pelo que decidi aproveitar a dica.
Mas todas as receitas falavam em ameixa sem casca... eu quando olhei para a quantidade de ameixa que tinha, desisti logo na primeira de lhes remover a casca! Limitei-me a tirar os caroços, e lavei bem tudo e siga com casca, porque afinal é lá que está a vitamina (oh para mim a convencer alguém...)
Entretanto, com as ameixas cortadas e pesadas, apercebo-me que sou capaz de ter um "petit problém"... comecei a ficar aborrecida perante a ideia de ainda ter que ir ao supermercado buscar açúcar, porque não teria talvez o suficiente... foi a custo que arranjei a quantidade necessária, mas teve que ser 400 grs de açúcar amarelo e mais outras tantas de mascavado.
Pus tudo na panela e lume bem brando. Tapei a panela e como sabia que aquilo ainda ia demorar, aproveitar para continuar com as lides domésticas! Eu estava mesmo inspirada e em estado de transe de dedicação total à doméstica que há em mim! (bem lá no fundo...)
A questão foi que eu demorei demasiado tempo, envolvida que estava na lide e nem vim dar um olho à panela... Escusado será dizer que quando se põe fruta a cozer ao lume não é lá muito boa ideia tapar a panela, porque o vapor não tem muito onde sair e vai de babar-se toda! Ora quando eu cheguei tinha a panela, a placa toda babada e no chão já pingara uma poça de melaço... 
Mas eu insisti, porque estava decidida a ser uma dona de casa perfeita, a quem estes flops não sucedem! Tratei de limpar tudo na perfeição e voltei a por tudo ao lume. Mas para precaver qualquer eventualidade, não me afastei muito e tirei a tampa da panela, não fosse o Diabo tecê-las!
Aquilo nunca mais despachava, continuava super líquido e o tal ponto estrada nunca mais se revelava. Mas paciência...
O entusiasmo era tamanho, que assim que aquilo ficou pronto, quis logo enfrascar tudo! Começo a procurar os ditos frascos, que me esquecera de procurar enquanto esperava pelo ponto certo da compota. Ora e frascos, onde paravam eles???!!! Subitamente lembrei-me que tivera um surto há um ano atrás e pus uma catrefada deles no Vidrão porque só ocupavam espaço e assim como assim nunca os usava... Erro!!
Mas lá consegui encontrar frascos suficientes, aqui e acoli. Até acertar com a colher certa para enfrascar a compota, eu que me desenrasco bem na cozinha, sujei para cima dumas quatro colheres diferentes... (valha-nos a máquina de louça, que lava tudo!)
Apesar de ter perdido algum tempo na cata dos frascos e a lavá-los convenientemente, pensei que o doce estivesse "menos quente"... e toca de encetar a empreitada, que começou logo mal... queimei-me num dedo e as dores eram cadelas... 
Digamos que foi neste exacto ponto que comecei a cuspir improprérios...
Como a tarefa de colocar compota num frasco requer alguma destreza que eu particularmente não domino, os frascos ficaram meio "borrados". E uma dona de casa perfeita não permite tal coisa! Toca de os limpar com um pano húmido para ficarem bonitos e brilhantes e exibirem aquela cor rubia da ameixa!
Como o ramalhete ainda não estava devidamente composto, ao limpar o último frasco, este escapa-se das minhas mãos e cai dentro do lava-louça despejando mais de metade do seu conteúdo lá dentro, sem falar daquele que escorreu pelos armários abaixo até ao chão...
O que me levou a proferir mais improprérios, em quantidade e em qualidade!
Escusado será dizer que já nem quis saber do paninho aos quadradinhos ou do fio de ráfia e guardei-os onde não pudessem causar mais agruras na minha alma ferida de dona de casa imperfeita!
Perante isto, julgo que nem tão cedo me aventuro noutra parecida!...

12 comentários:

Manuela disse...

Querida Naná, que saga!!
Quando fores às compras, procura um funil de ponta larga que se enfiam nos frascos e por onde escorre qualquer doce ou compota que é uma maravilha!
Antes de colocar o doce nos frascos deixa sempre, esfriar um pouquinho.
Para te animar, tens um miminho para ti, lá na Turista! :)

Ni! disse...

Tinhas ficado sugadita que era um mimo!!! :D

Anónimo disse...

Olá!
Foi mesmo uma novela! Só espero que a compota tenha ficado boa!
Beijinhos,
M. Céu
http://coisasgirasmcf.blogspot.com/

Só sedas disse...

Querida Naná, adorei a imagem. É de rir! Quanto às compotas/doces nunca fiz nenhum. Quem já tem algum treino diz que não é nada de especial mas eu ainda não me aventurei...

Teya disse...

Já me fizeste rir... Podes partilhar que a je gosta muito! Kisses

Naná disse...

Manuela, obrigada pela dica e pelo selo!

Ni, ah mas valeu a pena! E tu estás a ver-me ficar "sugadita"???

M. Céu, realmente esqueci-me de dizer que valeu a pena, porque a compota ficou divinal!

Só Sedas, não é difícil, convém é levar a coisa mais na desportiva do que eu... e esperar, porque é coisa para levar uma tarde a fazer...

Teya, partilho sim senhora, com todo o gosto!

La Sailve disse...

Que saga miga!
Por aqui tb tenho feito umas quantas, mas reduzo na quantidade de açúcar e no gás e no trabalho, porque junto pectina. Esta é uma gelatina natural da fruta, que facilita tudo e que está à venda, por exemplo, no Celeiro.É uma maravilha!
Quanto ao enfrascar, uma concha pequena daquelas dos molhos faz a coisa e eu cá, para os doces não se estragarem, coloco lá dentro logo a seguir a desligar o gás, enrosco, viro ao contrário e assim faz vácuo. Pelo sim pelo não, os que guardo, ficam sempre assim de "cabeça virada", que isto de ter trabalho para depois ir pelas coisas e estar tudo estragado não está com nada...
Bjs

Tanita disse...

:) só mesmo tu Naná.
É por isso que há coisas que compro sempre feitas ou espero que pessoas prendadas como tu (sim isto foi só um precalço) me ofereçam :)
Bj**

Naná disse...

Miga La Sailve, muito feliz fiquei por te encontrar por aqui! Pectina, boa, essa vou fixar! Beijocas, amiga!

Tanita, só mesmo eu para me meter nestas aventuras... mas uma coisa garanto: não vai ser a última vez que faço compotas! Desta vez, os frascos são poucos para dar a toda a gente que eu queria... mas estás na minha lista, porque ofereço-te uma com todo o gosto!

SofiAlgarvia disse...

Adorei a saga e a imagem que escolheste :))))
Nós bem tentamos, mas uma mulher do sec XXI dificilmente tem pachorra para a minuciosidade e o pormenor das "fifties housewives".
Olha que mesmo assim, aguentaste muito!

La Sailve disse...

Naná, eu passo por aqui muitas vezes. É uma maneira de te ir acompanhando, assim de mansinho...
Beijos **

Naná disse...

Sofia, é a minha veia de teimosa e obstinada!

La Sailve, ainda bem que que estás por aqui. Beijocas